Principal GERAL Seminário aborda inclusão e desafios do espectro Autista
Seminário aborda inclusão e desafios do espectro Autista

Seminário aborda inclusão e desafios do espectro Autista

0
0

O interesse em conhecer melhor as maneiras de diagnosticar e tratar as pessoas com transtorno do espectro Autista reuniu profissionais da educação, saúde, assistência social e familiares da região da Amurel, nesta segunda-feira (23), no Seminário “Autismo: Inclusão e os Desafios”, no auditório da Udesc, em Laguna.

O objetivo é compreender as características de aprendizagem da pessoa com autismo e identificar métodos e práticas de ensino que possibilitem o acesso, o prosseguimento e a participação do aluno na vida acadêmica e social.

“O autismo não é um transtorno único, não é fácil, não tem cura, mas tem melhoras. É um transtorno que apresenta um déficit de interação social de inúmeras formas”, disse a especialista e palestrante Márcia Valiati.

Ainda de acordo com a especialista as causas do autismo são variadas, mas o principal fator contribuinte é o genético. “Estudos científicos mostram que alterações genéticas estão entre as principais causas do autismo, mas também existem os fatores ambientais, doenças infecciosas, o uso de fármacos e drogas, além da idade avançada dos pais”, ressalta.

Outros estudos científicos também associam o uso do herbicida Glifosato, agrotóxico usado mundialmente, como um grave fator ambiental que está aumentando os casos de autismo.

É a primeira vez que o evento realizado pela Assembléia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) acontece em Laguna e superou a expectativa de participantes, com mais de 500 pessoas. A palestra gratuita faz parte de um ciclo de encontros programados que está ocorrendo em diferentes municípios catarinenses.

O que é o autismo?

É uma condição geral para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento. Esses distúrbios se caracterizam pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos. Embora todas as pessoas com transtorno espectro autista partilhem essas dificuldades, o seu estado irá afetá-las com intensidades diferentes. Assim, essas diferenças podem existir desde o nascimento e serem óbvias para todos, ou podem ser mais sutis e tornarem-se mais visíveis ao longo do desenvolvimento.

Foto: Prefeitura de Laguna