Principal SAÚDE Região da Amurel registra três casos de meningite
Região da Amurel registra três casos de meningite

Região da Amurel registra três casos de meningite

0
0

A doença meningocócica (DM) pode ser considerada um evento raro. No entanto, pela possibilidade da ocorrência de casos graves com alta letalidade, com uma evolução aguda, ou pelo seu potencial epidêmico, poucas doenças têm tanto poder de causar pânico entre a população.

No último relatório da Diretoria de Vigilância Eidemiológica (Dive/SC), sete municípios catarinenses foram afetados. Na região Amurel, dois casos foram confirmados em Tubarão e um em Braço do Norte. As outras cidades do Estado foram Florianópolis, Biguaçu, Jaraguá do Sul, Palhoça e Lages.

Os fatores de risco para o adoecimento são o contato íntimo com quem já esteja doente, infecção respiratória aguda recente, o hábito de fumar, o convívio em aglomerados urbanos, as doenças crônicas e as síndromes imunossupressivas. No Brasil, a DM é endêmica, com ocorrência esporádica de surtos, geralmente localizados em um município específico.

Saiba identificar a meningite

Todas as crianças acima de um ano de idade e todos os adultos com febre, cefaleia, vômitos, rigidez na nuca e outros sinais de irritação meníngea, convulsões e/ou manchas vermelhas no corpo devem ser considerados casos suspeitos. Nos casos de meningococcemia, atentar para hipotensão, diarreia, dor abdominal, dor em membros inferiores, mialgia, rebaixamento do sensório, entre outros. Em crianças abaixo de um ano de idade, os sintomas clássicos acima referidos podem não ser tão evidentes. É importante considerar, para a suspeita diagnóstica, sinais de irritabilidade, como choro persistente, e verificar a existência de abaulamento de fontanela.

Foto: Divulgação