Principal REGIÃO Capivari de Baixo Profissionais de saúde do Capiva recebem vacina contra gripe
Profissionais de saúde do Capiva recebem vacina contra gripe

Profissionais de saúde do Capiva recebem vacina contra gripe

0
0

A vacina contra a gripe, geralmente provocada por três cepas do vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B), já está liberada para profissionais de saúde de Capivari de Baixo a partir desta segunda-feira (26). A informação foi confirmada pela equipe da Vigilância Epidemiológica do município. Para se imunizar, precisa levar a mesma declaração que foi solicitada à campanha contra a Covid-19: um documento comprovando a profissão e um que atua na área.

Após, basta se dirigir aos ESFs Centro I e Três de Maio de segunda a sexta-feira. Esses trabalhadores do setor se juntam aos grupos prioritários nesta primeira fase, que são as crianças de 6 meses completos até 5 anos, 11 meses e 29 dias, as puérperas e as gestantes. Esta etapa inicial da campanha nacional prossegue até o dia 10 de maio.

A população idosa, que sempre foi considerada um dos grupos prioritários, desta vez será protegida em uma etapa posterior devido ao fato de já estar sendo vacinada com as doses contra a Covid-19, e a orientação é que haja um intervalo entre os imunizantes.

Conforme o prefeito Dr. Vicente Costa, esta dose também é importantíssima, principalmente agora que começa a esfriar mais com a proximidade do inverno, o que ajuda na propagação do vírus da Influenza. “Cada etapa dura cerca de 30 dias. Ainda vamos avaliar a necessidade de um Dia D. Estamos protegendo a nossa população, assim já ocorre nas campanhas da Covid-19 e Febre Amarela. A prevenção sempre foi e é o melhor remédio”, aponta o prefeito.

Intervalo de 14 dias

As recomendações dos órgãos de saúde são de que mesmo quem já tomou a vacina contra a Covid-19 deve se imunizar contra a gripe. O Ministério da Saúde orienta, no entanto, um intervalo mínimo de 14 dias entre as aplicações, independente da ordem de qual vacina for feita primeiro. Trata-se de recomendação dos fabricantes das doses.

No caso do imunizante da Covid-19 de Oxford, que tem um intervalo de 12 semanas entre as duas doses, é possível fazer a vacina da Influenza em um período entre essas duas doses (respeitando 14 dias antes e depois). Já na CoronaVac, que tem um intervalo apenas de 28 dias entre as duas aplicações, a recomendação é que a pessoa priorize as duas doses da Covid-19 e, apenas duas semanas depois, procure a vacina da gripe.

O maior problema para se organizar um cronograma e logística é que o grupo prioritário para a vacinação contra a gripe é quase o mesmo da imunização contra a Covid-19: idosos, pessoas com doenças crônicas e profissionais da saúde. Portanto, a orientação é que o público-alvo das campanhas dê prioridade à imunização contra o coronavírus e fique atento para o intervalo entre ambas as vacinas.

Três etapas

A campanha nacional de imunização contra a gripe está distribuída em três fases, de forma escalonada:

1ª etapa – de 12 de abril a 10 de maio: crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde (25,2 milhões de pessoas);

2ª etapa – de 11 de maio a 8 de junho: idosos e professores (32,8 milhões de pessoas);

3ª etapa – de 9 de junho a 9 de julho: demais grupos prioritários, como pessoas com doenças crônicas, caminhoneiros, forças de segurança e pessoas privadas de liberdade (21,7 milhões de pessoas).