Principal GERAL Primeiro dia de pesca artesanal resulta em mais de uma tonelada de tainha
Primeiro dia de pesca artesanal resulta em mais de uma tonelada de tainha

Primeiro dia de pesca artesanal resulta em mais de uma tonelada de tainha

0
0

A pesca artesanal da tainha foi liberada nesta terça-feira (1°) e já resultou em mais de uma tonelada de peixe no Farol de Santa Marta, em Laguna. Nestes primeiros dias de maio, apenas barcos movidos à força humana são permitidos a ingressar no mar. No dia 15, barcos a motor, de pequenas dimensões, serão liberados. Mais 15 dias e é a vez das traineiras e barcos grandes.

“Ano passado nem molhou a tarrafa. Neste ano, as tainhas vieram. No primeiro lanço, foi colhido do mar cerca de 500 quilos de tainha ovadas e leiteiras”, contou Aurélio, pescador da Prainha, na manhã de terça-feira. A preferida dos pescadores é a tainha ovada, pois a iguaria tem um bom preço no mercado.

No Farol, os ranchos de pesca estão concentrados na praia do Cardoso, dali devem partir os pequenos barcos para a captura do peixe com redes para o cerco do cardume. Por dia avançam as ondas mais de dez embarcações. No alto do morro, os olheiros esperam o cardume e sinalizam para aqueles que ficam na espera nos ranchos, vale grito, acenos, até mesmo, um sinal no celular.

O presidente da Fundação Lagunense de Cultura, Márcio Rodrigues Filho, que acompanhou o primeiro lance, afirma que “nós ficamos na torcida de que o mar traga a esses homens seu sustento para que essa tradição jamais se perca. A abertura com este lanço de meia tonelada já é um excelente presságio”. Em junho, a secretaria da Pesca planeja realizar uma feira no Farol, juntamente com pescadores e comunidade em geral, onde será oferecido pratos a base de tainha e artesanato para comemorar o Dia do Pescador.

Cotas de Pesca

Este ano, a quantidade de traineiras será de 50 barcos. Na pesca anilhada, serão 130 embarcações. O limite de capturas deve ficar em 3,8 mil toneladas para as duas frotas. Segundo a secretária, Patrícia Paulino da Silva, para o pescador artesanal de Laguna, a fiscalização das cotas partirá da secretaria de Pesca e Agricultura, onde duas vezes na semana dados serão colhidos nos ranchos de pesca.

Economia do município

De acordo com estatísticas da Federação dos Pescadores do Estado de Santa Catarina, em 2016 foram capturados 542 mil quilos de tainha em Laguna, e, em 2017, 290 mil. A expectativa é aumentar os números. Para isso, as frentes frias devem ser intensas. Os peixes são vendidos para empresas de pescado principalmente em Cabeçuda, supermercados, restaurantes e peixarias e encaminhados para várias regiões. Quem estiver na praia no momento do arrastão da rede vai poder levar o peixe fresco. Os valores do quilo da espécie variam a partir de R$ 10.

Foto: Márcio José Rodrigues Filho