Principal SAÚDE Primeiro caso de sarampo em SC pode ter sido diagnosticado em Tubarão
Primeiro caso de sarampo em SC pode ter sido diagnosticado em Tubarão

Primeiro caso de sarampo em SC pode ter sido diagnosticado em Tubarão

0
0

Um garotinho, com 2 anos, foi diagnosticado com Sarampo no HNSC. Ela era atendida em uma clínica particular, na semana passada, e devido aos sintomas foi encaminhada ao hospital, que prontamente isolou a criança, pois uma pessoa infectada pode contagiar cerca de dezessete facilmente. A paciente mora em Içara.

A instituição e os órgãos de saúde não se manifestaram. Pode ser o primeiro caso de Santa Catarina.

Uma fonte repassou ao Noticom que “a garotinha chegou ao hospital com febre, tosse, dor de garganta e algumas lesões como se tivesse algum tipo de alergia. A enfermeira identificou rapidamente, informou o departamento responsável e ela foi isolada”.

Sarampo: entenda a importância da vacinação

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, altamente contagiosa e afeta, principalmente, crianças. A transmissão ocorre por meio de secreções ao tossir, espirrar ou falar. Crianças desnutridas e menores de 1 ano de idade podem ter complicações mais graves. Mas vale reforçar: o sarampo é uma doença grave e pode se contraído por pessoas de qualquer idade, podendo causar a morte.

Sinais e sintomas

  • Febre acima de 38,5°C
  • Dor de cabeça
  • Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo
  • Tosse
  • Coriza
  • Conjuntivite
  • Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal de um a dois dias antes do aparecimento das manchas vermelhas

O Hospital Nossa Senhora da Conceição enviou uma nota atualizando o caso do menino. Segue abaixo.

“O Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), de Tubarão (SC), informa que o paciente J.P., de 2 anos, recebeu alta da unidade nesta terça-feira, 27 de agosto de 2019. O menor, que é de Içara, município que fica a 50 km de Tubarão, deu entrada no dia 21 de agosto no Hospital com suspeita de sarampo, apresentando manchas avermelhadas pelo corpo, febre, coriza e tosse. Imediatamente, a equipe médica tomou as medidas de precaução, como o uso de máscaras, o isolamento da criança e encaminhamento para o Núcleo de Epidemiologia do HNSC, onde ficou internado. Após confirmação da doença, o tratamento foi sintomático, isto é, visando ao alívio dos sintomas, já que o sarampo é autolimitado, e o paciente não apresenta mais risco de contaminação.

O HNSC comunicou o caso à Vigilância Epidemiológica e iniciou o bloqueio vacinal, levantando todas as pessoas que tiveram contato com o paciente contaminado para garantir a imunização. Durante todo o mês de agosto, em campanha interna, a vacina VTV (Tríplice Viral) foi oferecida em duas doses a todos os colaboradores do Hospital”.