Principal Últimas Em Destaque Primeiro caso da variante ômicron do coronavírus é confirmado em SC
Primeiro caso da variante ômicron do coronavírus é confirmado em SC

Primeiro caso da variante ômicron do coronavírus é confirmado em SC

0
0

O primeiro caso da variante ômicron do coronavírus foi confirmado em Santa Catarina nesta terça-feira (21) pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive). O paciente, de 66 anos, é morador de Jaraguá do Sul, no Norte do estado, e foi infectado em uma viagem à África do Sul no início de dezembro.

A Dive também informou que outros 56 casos da variante ômicron estão em investigação, 46 deles em Florianópolis.

Paciente infectado

O morador de Jaraguá do Sul, apresentou os primeiros sintomas em 9 de dezembro, permanecendo em isolamento durante o período de 14 dias, sob acompanhamento da Vigilância Epidemiológica municipal.

Conforme a Dive, ele estava com o esquema vacinal completo, e teve um quadro gripal leve, sem necessidade de hospitalização, mantendo acompanhamento com médico pneumologista.

Ele fez um exame PCR, que foi encaminhado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Rio de Janeiro, laboratório de referência nacional para Santa Catarina. Nesse local foi feito o sequenciamento genômico que possibilitou a identificação da variante.

Casos suspeitos

A Dive divulgou as cidades dos casos suspeitos da variante:

  • Balneário Camboriú – 1 caso
  • Biguaçu – 2 casos
  • Camboriú – 1 caso
  • Florianópolis – 46 casos
  • Palhoça – 2 casos
  • Canoinhas – 1 caso
  • Santo Amaro da Imperatriz – 1 caso
  • São Francisco do Sul – 1 caso
  • São José -1

O superintendente de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, Eduardo Macário, afirmou que a variante ômicron é uma grande preocupação para a saúde dos catarinenses, considerando a sua característica de ter uma capacidade de transmissão muito maior do que as variantes já identificadas.

“Essa nova variante pode provocar uma interrupção na tendência de redução nos casos de Covid-19 em nosso Estado. Dados do Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos apontam que, em menos de uma semana, a variante Ômicron passou a ser responsável por 73% de todos os casos confirmados nos Estados Unidos. Estima-se que mais de 100 mil infecções ocorreram em um único dia em Nova Iorque, portanto essa nova variante não deve ser menosprezada”, alertou.

Macário disse ainda que as vacinas em uso no Brasil se mostram eficazes na prevenção de casos graves, hospitalizações e mortes.

“As primeiras informações apontam que as vacinas são eficazes, e protegem contra formas graves, hospitalizações e mortes pela variante ômicron. O estado tem doses suficientes para vacinar a população que ainda não iniciou, não recebeu a segunda dose e não recebeu a dose de reforço após 4 meses, disse.

Situação da Covid-19 em SC

Desde março de 2020, Santa Catarina registrou 1.238.751 pessoas infectadas com o coronavírus. Dessas, 20.135 morreram. Os dados são do boletim desta terça do governo do estado.

As cidades com mais casos são:

  • Joinville – 119.752
  • Florianópolis – 85.144
  • Blumenau – 65.699

Os municípios com mais mortes por causa da Covid são:

  • Joinville – 2.077
  • Florianópolis – 1.124
  • Chapecó – 796

Em relação ao mapa de risco da Covid-19, divulgado no sábado (18) pelo governo do estado, todas as regiões estão no risco mais baixo para a doença.

Sobre a vacinação, conforme dados do governo do estado, foram aplicadas 5.776.792 primeiras doses, o que corresponde a 79,65% da população catarinense.

Receberam também a segunda dose 5.094.416 pessoas, o que equivale a 70,24% da população do estado.

O que é a variante ômicron?

No dia 26 de novembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a B.1.1.529 como variante de preocupação e escolheu o nome “ômicron”. Com essa classificação, a nova variante foi colocada no mesmo grupo de versões do coronavírus que já causaram impacto na progressão da pandemia: alfa, beta, gama e delta.

A ômicron é considerada de preocupação, pois tem 50 mutações, sendo mais de 30 na proteína “spike” (a “chave” que o vírus usa para entrar nas células e que é o alvo da maioria das vacinas contra a Covid-19).

Com informações do G1 SC