Principal GERAL Prática de “Rinha de galo” é descoberta, em Tubarão
Prática de “Rinha de galo” é descoberta, em Tubarão

Prática de “Rinha de galo” é descoberta, em Tubarão

0
0

Neste domingo, dia 15, a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de maus tratos a animais.

A guarnição do PPT, Canil, SGT Ronda e viaturas de área deslocaram-se até o endereço dado (Rua Padre Itamar Luiz Costa, São João, ME) onde havia uma “Rinha de Galo”, onde as aves estariam sofrendo, pois brigavam umas com as outras mediante aposta de seus donos e algumas chegavam a ficar muito machucadas, tamanha violência de seus embates.

No local, observou-se que haviam vários veículos estacionados nas mediações, o que não condizia com o número de pessoas que estavam no bar próximo, ascendendo a suspeita de que havia algo com movimentação de pessoas por perto, mas que era escondido.

Ao lado do bar, havia um corredor que levava em um casa de fundos e desse local os policiais escutaram “cantos de galo”, além de algazarra de pessoas.

Foi perguntado a um homem que estava no bar o que estava acontecendo nos fundos desse corredor, e o mesmo confirmou que se tratava de “Rinha de Galo”, conhecida também como “Briga de Galo”.

Os policiais diante dos indícios e confirmação foram até o final do dito corredor e confirmaram a denúncia, havia muitas pessoas e muitas aves, algumas machucadas outras confinadas em viveiros. E na dita “rinha”, local onde acontecem as brigas, duas aves machucadas se enfrentando e várias pessoas ao redor.

Os policiais determinaram o fim da briga e que todos se postassem em um determinado local para conferência de seus nomes junto ao sistema e informados que todos estavam detidos pela prática de maus tratos contra animais.

Os policiais então acionaram a Polícia Militar Ambiental, que se fizeram presentes no local. Foi tentando contato com a CIDASC do município para recolher os animais, mas não  se obteve êxito.

Diante das as circunstâncias a guarnição lavrou o termo de compromisso mediante assinatura de comparecimento no fórum de Tubarão para os presentes responderem pelos crimes cometidos. A Policia Militar Ambiental coletou os nomes e informações de todos os envolvidos e animais para fazer os procedimentos de sua competência.

Como não havia local apropriado para apreender os animais a alternativa foi deixar com os próprios donos mediante assinatura de “Fiel depositário”.

A “Rinha” era de propriedade do morador desta residência. Segundo ele as apostas variavam de R$100 a R$500.

Após colher todas as assinaturas para comparecimento no fórum e de fiel depositário, os participantes foram liberados do local e informados que deveriam se apresentar no dia 22 de outubro de 2019 no fórum da comarca de Tubarão.