Principal GERAL O que o governo estuda liberar em Santa Catarina a partir do dia 13 de abril
O que o governo estuda liberar em Santa Catarina a partir do dia 13 de abril

O que o governo estuda liberar em Santa Catarina a partir do dia 13 de abril

0
0

O estudo de flexibilização de atividades econômicas em Santa Catarina anunciado pelo governador Carlos Moisés da Silva para a partir da próxima segunda-feira, 13 de abril, vai analisar a liberação de três grupos que continuam com restrições de funcionamento. São eles: bares, restaurantes e hotéis; ramo de calçados, roupas, tecidos, bijuterias e afins; e eletrodomésticos, móveis, informática, entre outros. Estas atividades estão paralisadas total ou parcialmente desde 17 de março por conta do decreto estadual com regras de isolamento por conta do novo coronavírus.

Vamos deixar tudo pronto para a liberação destes setores, com regras bem restritivas (de saúde) a exemplo dos outros setores que já estão recebendo a liberação. A ideia não é estimular que as pessoas vão para a rua – afirmou o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, que coordena o grupo intersetorial que se reúne diariamente para discutir a questão econômica e a retomada das atividades.

Conforme Borba, a regra principal para o estudo de liberações é aquilo que não cause aglomeração. Aqueles setores que envolvam acumulo de pessoas em ambientes não terão autorização para funcionar neste momento como shoppings e igrejas, por exemplo. Com a quarentena renovada por cinco dias no Estado, a ideia é analisar o “cenário saúde” até domingo, que é o prazo final.

O governo diz que a orientação do Ministério da Saúde da última segunda-feira (7) sobre o retorno das atividades em Estados e municípios que estão adiantados nas regras de isolamentos dá mais segurança para a decisão de liberações. “Até aqui o governo vem obedecendo o que a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde vem recomendando”, justificou o chefe da Casa Civil.

Nesta quarta-feira (8) começaram a funcionar os estabelecimentos ligados à cadeia automotiva como mecânicas, despachantes, autoescolas e lavações. As lavanderias também receberam autorização para operar.