Principal Últimas Em Destaque Nova bandeira tarifária acende alerta para consumo consciente
Nova bandeira tarifária acende alerta para consumo consciente

Nova bandeira tarifária acende alerta para consumo consciente

0
0

Com o anúncio da nova bandeira tarifária pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a conta de luz dos consumidores será ainda mais alta se não houver conscientização. Desde ontem, 1º de setembro, o acréscimo já está em vigor e, na prática, a taxa extra aumentará de R$ 9,49 por 100 Kw/h, para R$ 14,20. A medida acende o alerta para que o consumo seja mais cauteloso, em virtude da crise hídrica vivenciada no país.

Pequenas atitudes conscientes, dentro de casa, podem ajudar a reduzir o consumo mensal. Entre as atividades que mais precisam de atenção e são vilãs das contas de energia estão o uso do chuveiro elétrico, ferros de passar, aquecedores e secadoras de roupas. A utilização excessiva de eletrodomésticos tradicionais como micro-ondas, freezer e geladeira também merecem cuidados.

“Houve aumento do degrau da bandeira tarifária, que é uma escala. Então, o consumo vai se proporcionalizando. Para evitar o excesso, é necessário controlar o consumo de energia elétrica. Existem várias formas, como cuidar do chuveiro durante o verão com banhos curtos, otimizar o  ato de passar roupa, concentrando maior número de peças e também evitar de abrir e fechar a geladeira o tempo todo. São mudanças de hábitos. Se tiver disciplina, é capaz do consumidor passar o mês sem atingir a bandeira tarifária”, explica o chefe da divisão técnica do Núcleo Sul da Celesc, Zulnei Casagrande.

Brasil enfrenta crise hídrica

Existem várias formas de gerar energia: usinas hidrelétricas, termelétricas, solares, eólicas. No Brasil, a maior parte da energia é gerada através da água dos rios. Em paralelo, atualmente, o país enfrenta a pior escassez hídrica desde 1930, o que traz alerta quanto ao consumo.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), nos últimos sete anos a situação vem ficando mais grave, já que neste período os reservatórios das hidrelétricas receberam um volume inferior à média histórica.

Para piorar o cenário, em agosto choveu menos do que o esperado. Por isso, a crise hídrica tem exigido medidas adicionais do setor elétrico para não faltar energia em outubro e novembro – os meses que serão os mais críticos do ano, como a criação da bandeira tarifária escassez hídrica.

Diante do cenário, o governo também anunciou ontem que dará desconto de R$ 0,50 por kWh economizado nas faturas dos próximos meses para os consumidores que pouparem entre 10% e 20%. A medida começa a valer em setembro e se estende até dezembro, mas pode ser prorrogada.

A previsão é de que a bandeira tarifária escassez hídrica permaneça em vigor até 30 de abril de 2022. Até agora, o sistema era revisto mês a mês. Todos os consumidores serão atingidos, com exceção da população de Roraima, único estado que não está interligado ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e das cerca de 12 milhões de famílias inscritas no programa Tarifa Social de Energia Elétrica.

Como fica o aumento na prática

A tarifa média da conta de energia, considerada pela Aneel, é R$ 60 a cada a 100 KWh, resultando em R$ 69,49, no caso da incidência da bandeira vermelha patamar 2 (R$ 9,49), que até agora era a mais alta do sistema, o valor da conta de luz com a nova bandeira de escassez hídrica ficará, em média, 6,78% mais cara, chegando a R$ 74,20 (R$ 60 de tarifa média + taxa extra de R$ 14,20 da nova tarifa).

DICAS PARA EVITAR O CONSUMO EXCESSIVO DE ENERGIA:

  • Invista em aparelhos elétricos eficientes

Eletrodomésticos antigos costumam ser menos eficientes e consomem mais energia. Se puder, substitua-os por aparelhos mais novos e com selo PROCEL de eficiência energética.

  • Opte por banhos curtos

Tome banhos de, no máximo, cinco minutos. Ao ficar muito tempo no chuveiro, você desperdiça água e consome energia elétrica em excesso, principalmente no inverno.

  • Atenção com o carregador de celular

Evite deixar o carregador de celular na tomada sozinho ou depois que o aparelho estiver completamente carregado. Além de evitar acidentes domésticos, isso pode consumir energia elétrica sem necessidade.

  • Escolha lâmpadas LED

Dê sempre preferência às lâmpadas LED. Elas consomem até 80% menos que as lâmpadas convencionais.

  • Utilize a função “timer” das TVs

Evite dormir com a TV ligada. Utilize a função “timer” ou “sleep” para que ele desligue sozinho.

  • Utilize a geladeira com eficiência

Evite utilizar a parte de trás da geladeira ou do freezer para secar panos e roupas. Verifique sempre o estado da borracha de vedação e evite abrir a porta a todo o momento.

  • Passe as roupas de uma única vez

Junte a maior quantidade possível de roupas para passar e sempre utilize a temperatura indicada para cada tipo de tecido. Deixe as roupas leves para passar com o ferro desligado.

Com informações do TNSul