Principal GERAL Imbituba estuda implantar taxa de preservação ambiental para combater aglomerações
Imbituba estuda implantar taxa de preservação ambiental para combater aglomerações

Imbituba estuda implantar taxa de preservação ambiental para combater aglomerações

0
0

A carta aberta, divulgada por moradores nos últimos dias, que contesta as aglomerações nos bairros, principalmente na Praia do Rosa, durante a temporada de verão, foi pauta de reunião ontem, 13, na prefeitura de Imbituba.

O Prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior, e o vice-prefeito, Antônio Clésio Costa, receberam empresários e representantes da região de Ibiraquera.

Durante a reunião, que durou mais de duas horas, cada representante apresentou ponderações sobre a atual situação e possíveis soluções para os problemas da superlotação nos balneários. A advogada Bruna Kieling, que representava parte da comunidade, leu a carta aberta dos empresários/moradores, elencou prioridades e pediu mais fiscalização.

O empresário e dono de pousada, João Felipe, disse que, boa parte dos problemas está relacionada aos estabelecimentos clandestinos (sem alvará de funcionamento), que recebem hóspedes sem qualquer controle de acesso. Segundo ele, uma boa medida seria a sanção mais severas nestes locais.

Fiscalização reforçada

O Comandante da Polícia Militar de Imbituba, Luiz Carlos Cruz, salientou que a fiscalização está sendo feita na região. A guarnição atendeu, entre os dias, 22 de dezembro de 2020 e 13 de janeiro, 521 ocorrências entre Ibiraquera e Praia do Rosa. Um percentual 54,5% maior que na temporada passada.

O Delegado Nicola Patel Filho levou à reunião algumas sugestões para serem analisadas pelo poder público e pela comunidade. Entre elas, a separação, com grades, entre calçadas e ruas, para evitar que a aglomeração invada as vias públicas, atrapalhando o acesso das equipes de fiscalização.

Cobrança

Ao fim do encontro, o prefeito Rosenvaldo Júnior ratificou a importância de se intensificar as fiscalizações. O chefe do Poder Executivo Municipal disse, ainda, que outras ações estão sendo estudadas para o combate as aglomerações.

Uma delas é a possibilidade da implantação da Taxa de Preservação Ambiental (TPA), uma cobrança para o acesso à região de Ibiraquera e Praia do Rosa, semelhante ao que ocorre no município de Bombinhas.

Com informações do HCNoticias