Principal EDUCAÇÃO Governo quer permitir quase metade das aulas do Ensino Médio a distância
Governo quer permitir quase metade das aulas do Ensino Médio a distância

Governo quer permitir quase metade das aulas do Ensino Médio a distância

0
0

O governo federal quer liberar até 40% da carga total do Ensino Médio para ser realizada no formato de Ensino a Distância (EAD). Uma resolução que atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio prevê essa nova regulamentação horária, fruto da reforma aprovada em 2017, que abriu espaço para o ensino online. No que se refere à Educação de Jovens e Adultos (EJA), a proposta permitiria que todo o curso seja realizado a distância.

Se as novas regras forem aprovadas, qualquer conteúdo escolar presente no currículo poderá ser ministrado pela internet, e os alunos terão até dois dias de aulas por semana fora da sala. O Conselho Nacional de Educação (CNE) já realizou uma primeira discussão sobre a temática. Representantes favoráveis à proposta apontam que ela almeja permitir a experimentação de novos recursos na educação. Outro ponto positivo apontado é o auxílio ao atendimento de casos de falta de professores que a adoção de até 40% das aulas em formato EAD possibilitaria.

O texto das novas diretrizes foi apresentado no último dia 6 no CNE pelo presidente do conselho, Eduardo Deschamps (que também é secretário estadual de Educação) e pelo diretor do Senai, Rafael Lucchesi, relator da proposta. Apesar de não haver prazo para finalização, o processo deve ocorrer ainda neste semestre.

As informações foram reveladas pelo jornal Folha de São Paulo e foram desmentidas pelo Ministério da Educação. “Não é verdade tal afirmação. O MEC não encaminhou nenhuma sugestão ao Órgão e discorda dessa proposta que está em discussão”, disse o Ministério, em nota oficial.

 

Foto: Divulgação