Principal SAÚDE Governo de SC admite falta de “kit intubação”
Governo de SC admite falta de “kit intubação”

Governo de SC admite falta de “kit intubação”

0
0

O Governo do Estado de Santa Catarina admitiu que pode haver risco de desabastecimento de medicamentos importantes no tratamento de pacientes com Covid-19, como os que fazem parte do chamado “kit intubação”.

Por meio de nota enviada nesta terça-feira (23), a SES (Secretaria de Estado da Saúde) de Santa Catarina informou que os medicamentos Atracúrio, Propofol e Rocurônio correm risco de desabastecimento.

“Atualmente vivenciamos risco de desabastecimento de itens importantes do kit de intubação, como os medicamentos Atracúrio, Propofol e Rocurônio. Em termos de comparação, apenas nos primeiros nove dias de março foram consumidos o equivalente a quase duas vezes a média mensal de 2020 de um destes medicamentos – aumento de quase 90%”, diz a nota.

Segundo a SES, há um processo aberto para aquisição de Rocurônio, item mais crítico nos estoques da Secretaria, para evitar o desabastecimento dos hospitais do Estado. Paralelo a isso, há também um processo emergencial de aquisição dos itens do chamado kit intubação (anestésicos e bloqueadores) ocorrendo via SEA/SC (Secretaria Estadual de Administração), que está sendo relicitado, pois o anterior não houve cotação em função da falta dos insumos no mercado”, informa a nota.

Distribuição dos remédios

De acordo com a nota, o governo do Estado recebeu um volume de medicamentos mensurado para sete dias de abastecimento do kit intubação. Foram recebidas 79,5 mil unidades de Propofol 20ml, 47,3 mil unidades de Atracúrio 2,5ml e 35 mil unidades de Atracúrio 5ml.

Desse montante, foram distribuídos imediatamente 18.060 unidades de Atracurio 5ml, 6.275 unidades de Atracurio 2,5ml e 25.605 unidades de Propofol. Estão sendo distribuídos mais 12.150 unidades de Atracúrio 2,5 ml, 9.525 unidades de Atracúrio 5ml e 17.315 unidades de Propofol a hospitais municipais e filantrópicos com leitos UTI Covid.

As unidades estão sendo contatadas para retirar os medicamentos e hospitais que apresentem falta desses itens devem solicitar por ofício à Superintendência de Assuntos Hospitalares encaminhado por e-mail. Segundo a SES, os medicamentos estão no Centro de Distribuição em São José e serão retirados ou encaminhados aos hospitais do Estado conforme a necessidade.

Acompanhamento dos estoques

A Secretaria afirma que vem acompanhando diariamente desde 2020 os quantitativos de consumo, estoques nas unidades hospitalares e Centro de Distribuição e também os saldos de Atas de Registro de Preço. Informa também que possui uma estrutura organizada e eficiente de compra e distribuição de medicamentos e materiais hospitalares e conta com o apoio da SEA nesse momento.