Principal Últimas Governador defende ampliação do suprimento de gás natural para Santa Catarina
Governador defende ampliação do suprimento de gás natural para Santa Catarina

Governador defende ampliação do suprimento de gás natural para Santa Catarina

0
0

A ampliação do suprimento de gás natural para Santa Catarina é pauta da agenda do governador Carlos Moisés nesta sexta-feira, 13, às 14h, na Petrobras no Rio de Janeiro. A crescente demanda do mercado, principalmente o industrial, contrasta com as limitações atuais de abastecimento pelo Gasoduto de Transporte Bolívia-Brasil (Gasbol). Atualmente, o gás natural atende 324 indústrias catarinenses, responsáveis por 50% do PIB industrial do Estado.

Outro ponto que será discutido é a recente perda de competitividade das tarifas em relação ao mercado de São Paulo, por exemplo, que compete especialmente com as indústrias do setor cerâmico. O gás natural comercializado pela Petrobras é mais barato para o setor paulista, o que pode enfraquecer o segmento em Santa Catarina.

“A ampliação da oferta de gás natural para atender à demanda da indústria catarinense é uma das prioridades da nossa gestão. Por isso, junto aos órgãos responsáveis e fiscalizadores, vamos viabilizar maneiras de aumentar o fornecimento do insumo para Santa Catarina. Assim, nossas indústrias terão um gás natural mais competitivo para continuar crescendo e poderemos distribuir o insumo para novas regiões do estado”, comenta o governador Carlos Moisés.

Dados da SCGás apontam que o Estado bateu recorde na comercialização de gás natural no último mês, com 70 milhões de metros cúbicos. As 324 indústrias consumiram 1,9 milhões de metros cúbicos por dia. O setor industrial responde por 80% do consumo.

Acompanham o governador nessa agenda o presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl; o secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon; o chefe de gabinete do governador, coronel Márcio Ferreira; o diretor-presidente da Celesc (acionista majoritária da SCGÁS), Cleicio Poleto Martins, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Mario Cezar Aguiar.

Suprimento de gás natural em Santa Catarina

O contrato atual de suprimento com a Petrobras prevê a aquisição de 2,08 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural, com possibilidade de distribuição de mais 5% da quantidade contratada. O Gasbol, que abastece o Estado, atingiu seu limite de capacidade na zona SC2, que abrange os pontos de entrega de Biguaçu até Nova Veneza. Essa limitação ocorre devido à diminuição do diâmetro e porque a região consome grandes volumes de gás natural, puxado principalmente pelas indústrias do segmento cerâmico.

“Trabalhamos pela ampliação do suprimento em Santa Catarina há mais de 10 anos. Essa parceria com o governo de Carlos Moisés nos ajuda no diálogo com os órgãos responsáveis e podemos trabalhar para ampliar a capacidade da oferta, já que iremos conectar 122 novas indústrias até 2025. Investimentos da Petrobras para aumentar a capacidade do gasoduto irão ao encontro com os planos de expansão da SCGÁS e do mercado industrial catarinense”, conclui o presidente da SCGÁS, Willian Anderson Lehmkuhl.

Até 2025, a SCGÁS projeta investir mais de R$ 457 milhões para construir 507 novos quilômetros de rede. Para não afetar o abastecimento do mercado, em especial do Sul catarinense, a SCGÁS finalizou recentemente processo de Chamada Pública e contratou suprimento adicional de GNL (Gás Natural Liquefeito) vindo da Argentina. A distribuidora catarinense também participa de Chamada Pública Coordenada junto com outras quatro distribuidoras do centro-sul do país.