Principal Últimas Em Destaque Gestantes com comorbidades voltam a ser vacinadas em SC com doses de Coronavac e Pfizer
Gestantes com comorbidades voltam a ser vacinadas em SC com doses de Coronavac e Pfizer

Gestantes com comorbidades voltam a ser vacinadas em SC com doses de Coronavac e Pfizer

0
0

A vacinação contra a Covid-19 para gestantes e puérperas com comorbidades vai ser retomada em SC com doses da Pfizer e da CoronaVac. A decisão do governo do Estado foi comunicada em nota no fim da tarde desta quarta-feira (12), após reunião com profissionais de diversas áreas da saúde. Segundo o Estado, a retomada está autorizada já a partir desta quinta-feira (13).

A aplicação de doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz continua suspensa para este público. A paralisação atende a uma recomendação da Anvisa e do Ministério da Saúde.

Para gestantes e puérperas sem comorbidades, a vacinação continua suspensa independentemente do tipo de vacina. A decisão segue orientação do Programa Nacional de Vacinação (PNI), do Ministério da Saúde. As orientações do Estado para os municípios catarinenses foram divulgadas em uma nota técnica.

– Considerando que o risco benefício da vacinação deste grupo é altamente favorável e tem como principal objetivo proteger grávidas e puérperas, o Estado optou por seguir a recomendação do Ministério da Saúde e dar continuidade à vacinação de gestantes e puérperas com comorbidades com as outras vacinas que temos à disposição neste momento – afirmou o superintendente de vigilância em saúde, Eduardo Macário.

Para que possam ser vacinadas, as gestantes e puérperas com comorbidades devem comprovar a condição de risco (comorbidade) por meio de relatório médico com a prescrição da vacina COVID-19, após análise conjunta entre médico e paciente, da avaliação de riscos e benefícios do uso da vacina.

Sem definição sobre quem já tomou a vacina

Com relação às grávidas e puérperas que já tomaram a primeira dose da vacina do laboratório AstraZeneca/Fiocruz, a Secretaria de Saúde aguarda recomendações do Programa Nacional de Vacinação (PNI), do Ministério da Saúde. Até que isso ocorra, a aplicação da segunda dose da vacina deste fabricante também fica suspensa.

A Secretaria de Estado da Saúde orienta na nota que os municípios monitorem as gestantes e puérperas que já receberam as vacinas contra a Covid-19, notificando imediatamente qualquer evento adverso.

Com informações do NSCTotal