Principal Últimas Em Destaque Frio extremo em SC gera preocupação e cidades preparam apoio a moradores de rua
Frio extremo em SC gera preocupação e cidades preparam apoio a moradores de rua

Frio extremo em SC gera preocupação e cidades preparam apoio a moradores de rua

0
0

A previsão de frio intenso para os próximos dias em Santa Catarina preocupa em relação à população em situação de rua. As maiores cidades do Estado mobilizam estruturas para o acolhimento e abrigo dessas pessoas nos dias em que as mínimas podem superar recordes históricos, registrados há mais de 60 anos.

Na Serra os termômetros podem ficar entre -10°C e -12°C. Segundo o meteorologista Leandro Puchalski, da NSC Comunicação, isso pode ocorrer em função de uma nova e intensa massa de ar frio polar. Além do frio extremo, também há chance de neve durante a semana.

Mínimas previstas para sexta-feira (30):

– Joinville: 4°C

– Florianópolis: 4°C

– Blumenau: 0°C

– Criciúma: 1°C

– Lages: -2°C

– Itajaí: 3°C

– Chapecó: -1°C

– Bom Jardim da Serra: -5°C

– Urupema: -8°C

– Urubici: -3°C

Fonte: Epagri/Criam

Cuidados com o frio

Com a previsão são necessários cuidados porque a exposição ao frio intenso pode levar à morte. O médico especialista em Saúde da Fmília, Igor Tavares Chaves, explica que um dos quadros que as pessoas podem apresentar é a hipotermia.

— O corpo tem um calor que é necessário para mobilizar todas as funções. Se essa temperatura cai muito, as funções do corpo vão diminuindo, o metabolismo vai diminuindo e a pessoa pode sofrer uma parada cardiorrespiratória ou outras consequências do frio relacionado à hipotermia — diz o médico.

A morte de pessoas em situação de rua por frio foi registrada neste ano na cidade de São Paulo. Com os termômetros marcando 6°C, sete foram os óbitos computados pelo Movimento Estadual dos Moradores em Situação de Rua na madrugada do dia 29 de junho.

O médico explica que, além da hipotermia, o frio intenso pode provocar outros problemas físicos.

—Tem [mortes] por causa direta, que é a hipotermia, e tem causas indiretas. O frio também causa um estresse no corpo aumento, o que aumenta a chance de exacerbação ou piora de problemas que nós já temos — explica Chaves.

Para o médico, é necessário que haja acolhimento em abrigos e também que se ofereça cobertores e roupas para pessoas que não aceitam se deslocar a esses locais.

— Nesses casos a gente tem que também pensar em uma estrutura intermediária que seria fornecimento de cobertores, algum tipo de ronda — completa.

Preparação para o frio

Com a expectativa de queda nas temperaturas, a Defesa Civil emitiu alertas e segue monitorando a condição do tempo. O órgão fez uma reunião nesta segunda-feira (26) com diversos setores para organizar ações nos dias de frio intenso. A estrutura de atendimento da organização foi colocada à disposição dos municípios em caso de necessidade.

Em julho, a Diretoria de Assistência Social do governo do Estado encaminhou aos municípios uma orientação do Ministério da Cidadania sobre o enfrentamento em situações de frio intenso. O texto pede mobilização em relação aos cuidados com as pessoas em situação de rua.

Cada cidade prepara seu próprio esquema para o enfrentamento do frio. A reportagem do Diário Catarinense questionou as prefeituras de Florianópolis, Joinville, Blumenau, Chapecó, Lages, Itajaí e Criciúma sobre como as pessoas em situação de rua serão acolhidas e de que forma pode ser feito contato com a assistência social.

Com informações do NSCTotal