Principal Últimas Em Destaque Erro em banco de dados faz SC “perder” quase 300 mil vacinados contra a Covid-19 em um dia
Erro em banco de dados faz SC “perder” quase 300 mil vacinados contra a Covid-19 em um dia

Erro em banco de dados faz SC “perder” quase 300 mil vacinados contra a Covid-19 em um dia

0
0

Em apenas um dia, Santa Catarina “perdeu” quase 300 mil vacinados contra a Covid-19, englobando primeira dose, segunda dose ou única e a dose de reforço. De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) o motivo foi um erro no banco nacional de dados do Ministério da Saúde. 

Na noite desta terça-feira (9), segundo o Monitor da Vacina do NSC Total, que é abastecido com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), 5.745.977 pessoas haviam tomado a primeira dose da vacina em Santa Catarina. Mas, na atualização desta quarta-feira (10), o Vacinômetro do Estado indicava que 5.624.823 catarinenses receberam a primeira dose – uma diferença de 121.154 doses. 

Em relação a segunda dose, também há diferença. Na terça, os dados diziam que 4.583.122 pessoas estavam com o esquema vacinal completo no Estado. Nesta quarta, no entanto, o número caiu para 4.505.763 – uma queda de 77.359 doses. 

Para completar a lista, as doses de reforço tiveram uma queda de 85.937 aplicações em apenas um dia. Passou de 460.496 para 374.559 nesta quarta-feira. Ao todo, contando os três estágios de vacinação, SC “perdeu” 284.450 aplicações de um dia para outro. 

Doses de outras vacinas entraram na contagem 

De acordo com a Dive/SC, o problema ocorreu no banco de dados nacional, que contabiliza a quantidade de doses aplicadas contra a Covid-19. A pasta informou ao Diário Catarinense que, no sistema do Ministério da Saúde, estavam sendo contabilizadas algumas doses de vacinas de rotina, ou seja, aquelas que fazem parte do calendário anual, como a da caxumba e do sarampo. 

Ainda de acordo com a diretoria, o Ministério já realizou a correção no sistema e os números desta quarta-feira não possuem mais a divergência. 

Em nota, a pasta nacional informou que a correção ocorreu após uma incompatibilidade de dados levantados a partir de informações das Secretarias Estaduais de Saúde e da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS). O Ministério informou, ainda, que os dados foram atualizados na terça-feira (9). 

Com informações do NSCTotal