Principal Blog Nilton Veronesi É burrice ou má vontade pensar que o rotativo beneficia só – ou mais – o comércio
É burrice ou má vontade pensar que o rotativo beneficia só – ou mais – o comércio

É burrice ou má vontade pensar que o rotativo beneficia só – ou mais – o comércio

0
0

Não é justo dizer que o estacionamento rotativo beneficia só o comércio. Qualquer um com um pingo de boa vontade sabe disso. Para vocês terem ideia, certa vez conversei com o síndico do EJB, que disse que “mais de duas mil pessoas circulavam diariamente no edifício”.

Se analisarmos um pequeno trecho da Avenida Marcolino Martins Cabral, que é a principal de Tubarão, podemos perceber facilmente. Da “mais antiga rodoviária” até o Hospital Nossa Senhora da Conceição, nós temos:

  • Seis bancos (Itaú, duas agências do Bradesco, Santander, Caixa Econômica e Banco do Brasil).
  • Três grandes escolas (Hercílio Luz, Escola Técnica e São José).
  • Praça Shopping.
  • Igreja Universal.
  • No mínimo 10 centros/edifícios executivos (EJB, Seven, Center Park, Francalacci, etc.), com dezenas de escritórios: contábeis, advocatícios, odontológicos, etc.
  • Inúmeras pequenas e médias clínicas laboratoriais e médicas.
  • Museu Willy Zumblick.
  • Paço Municipal.
  • Prédio da Previdência Social.
  • Três cartórios.
  • Quatro farmácias.

Nem citei restaurantes, lanchonetes e prédios residenciais.

Sem fazer muita força, perceba a quantidade de serviços prestados nesse pequeno trecho. Creditar uma possível forçação de barra de comerciantes é não conhecer a realidade ou má vontade. Todos somos beneficiados com a Área Azul e não podemos ficar reféns de um grupelho que não sabe viver em coletividade.