Principal Blog Nilton Veronesi Diminuir para 15 vereadores?! Óbvio que não querem economia, o lance é político
Diminuir para 15 vereadores?! Óbvio que não querem economia, o lance é político

Diminuir para 15 vereadores?! Óbvio que não querem economia, o lance é político

0
0

Na sessão da Câmara de Vereadores de Tubarão desta segunda-feira (24) entrou em votação um projeto de Emenda à Lei Orgânica nº 002/2020, que prevê a redução do número de vereadores de 17 para 15. O projeto de autoria do vereador João Gonçalves Fernandes (PL), que entrou em regime de urgência, foi aprovado por 15 votos favoráveis e duas abstenções – dos vereadores Paulo Henrique Lúcio (PT) e Dorli Fernandes Rufino (PL). “Acredito que essa casa não necessita de 17 vereadores. Estamos marcando história demonstrando que se pode fazer mais com menos”, argumentou o vereador João Gonçalves Fernandes (PL).

Será mesmo que a justificativa de que trará mais economia aos cofres públicos é coerente? Principalmente nesta legislatura, a câmara de vereadores nunca gastou tanto. Até esta terça-feira (25) de agosto custou mais de R$4,8 milhões. Em julho, pagou cerca de R$30 mil em gratificações/comissões. E ainda utilizaram R$96 mil do nosso dinheiro em diárias. Isso tudo enquanto pequenos empresários e outros tubaronenses batalham para conseguir manter sua família nesta pandemia, os vereadores esbanjam com esses tipos de gastos. É importante ainda destacar que, ao todo, são 44 cargos comissionados/cabos eleitorais.

Ou seja, isso de diminuir o número de vereadores para economizar é apenas uma desculpa esfarrapada. Eles deveriam é economizar é diminuindo o duodécimo ou diminuindo o salário de cada um. É pura hipocrisia. Só querem tirar a chance de outros nomes entrarem no pleito deste ano 2020, nas eleições de 15 de novembro. Não devia, mas vou dar um conselho. Se a base governista e o próprio governo fazem tanta questão em diminuir a representatividade na Câmara de Tubarão, comecem dando exemplo. São 200 comissionados nos dois poderes. Óbvio que não querem economia. O lance é político.