Principal GERAL Desembargadora Rosane Wolff é sorteada relatora no tribunal do 2º impeachment contra Moisés
Desembargadora Rosane Wolff é sorteada relatora no tribunal do 2º impeachment contra Moisés

Desembargadora Rosane Wolff é sorteada relatora no tribunal do 2º impeachment contra Moisés

0
0

Nome foi sorteado entre membros do colegiado durante a instalação do tribunal na manhã desta sexta-feira (30)

A instalação do Tribunal Especial do Julgamento sorteou nesta sexta-feira (30), a desembargadora Rosane Portela Wolff como relatora do segundo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL).

A sessão, que teve início às 10h, foi realizada no plenário da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina). O sorteio foi feito após cerca de 50 minutos da abertura da sessão. A desembargadora acompanhou o encontro de forma virtual. 

Wolff terá um prazo de dez dias, a contar a partir da próxima terça-feira (3), para apresentação do relatório que recomendará a admissibilidade ou não da denúncia. O parecer será apreciado pelos demais membros do tribunal.

Os trabalhos do colegiado – formado por cinco deputados e cinco desembargadores – foram presididos pelo desembargador Ricardo Roesler, presidente do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina).

Assim que a sessão foi aberta, o presidente fez a leitura dos 40 itens que compõem o roteiro dos trabalhos. Ele destacou que o documento é o mesmo seguido pelo primeiro processo de impeachment de Carlos Moisés, referente à equiparação salarial dos procuradores do Estado. O roteiro foi aprovado por unanimidade. 

Membros do Tribunal Misto 

A Assembleia foi representada pelos deputados Laércio Schustel (PSB), Valdir Cobalchini (MDB), Fabiano da Luz (PT), Marcos Vieira (PSDB) e José Milton Scheffer (PP).

Já o TJSC teve como representantes, além de Rosane Portela Wolf, os desembargadores Luiz Zanelato, Sônia Maria Schmidt, Luiz Antônio Fornerolli e Roberto Lucas Pacheco.

O segundo pedido de afastamento diz respeito à denúncia de irregularidades na contratação do hospital de campanha, em Itajaí, e na compra dos 200 respiradores pulmonares pelo governo o Estado. Foram pagos R$ 33 milhões antecipadamente e sem garantia de entrega.

Com informações do HCNoticias