Principal Últimas Denúncias de violência doméstica em SC começam a ser feitas em cartórios; saiba como
Denúncias de violência doméstica em SC começam a ser feitas em cartórios; saiba como

Denúncias de violência doméstica em SC começam a ser feitas em cartórios; saiba como

0
0

O combate à violência doméstica ganhou um novo aliado em Santa Catarina. Desde sexta-feira (29), os 579 cartórios catarinenses passaram a fazer parte da campanha Sinal Vermelho, uma iniciativa para que as vítimas possam denunciar agressões. As informações são do G1.​

A denúncia acontece da seguinte forma: ao chegar no estabelecimento, a vítima pode denunciar um “x” na mão para denunciar a agressão. Nesse caso, o atendente deve anotar o número de telefone, nome e endereço da vítima, para depois avisar a polícia.

A ideia da imagem é porque, muitas vezes, as mulheres estão acompanhadas do agressor e algumas vítimas não querem o socorro imediato. Além dos cartórios, também é possível fazer esse mesmo tipo de denúncia nas farmácias catarinenses.

Em julho, uma mulher de 40 anos conseguiu pedir socorro em uma farmácia após mostrar um sinal vermelho com “X” na mão. Na época, ela estava sendo ameaçada de morte pelo companheiro em Rio dos Cedros, no Vale do Itajaí. O caso passou a ser investigado pela Polícia CIvil.

A medida também faz parte de uma lei sancionada em julho, que define o programa de cooperação Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica como uma das medidas de combate à violência contra a mulher.

O que é o “X” vermelho?

A denúncia do “Sinal Vermelho” foi idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça e está disponível em várias cidades do país.

Funcionários são treinados para receberem as denúncias de violência doméstica e encaminharem as vítimas à polícia. A pessoa pode falar que precisa de uma máscara roxa ou mostrar o “X” desenhado na mão ou em qualquer pedaço de papel.

A mulher que é vítima de violência também conta com outras formas de pedir ajuda:


WhatsApp da Polícia Civil: (48) 98844-0011
​Delegacia virtual​
Disque 100 ou através do número 182
Polícia Militar: 190

Com informações do NSCTotal