Principal GERAL Com menos de uma década, Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi apresenta vários problemas estruturais
Com menos de uma década, Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi apresenta vários problemas estruturais

Com menos de uma década, Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi apresenta vários problemas estruturais

0
0

O Aeroporto Regional Humberto Bortoluzzi, em Jaguaruna, tem atendido as expectativas da Região Sul. Vôos lotados, quase 13 mil passageiros em 2018, empresas aéreas se consolidando. Nem tudo é mil maravilhas. O teto do terminal de passageiros – com menos de sete anos de uso – está cheio de infiltrações. Quando chove, os passageiros precisam se proteger das goteiras dentro da edificação.

Antes de pensar em aumentar pista e construir terminal de cargas é necessário o básico do básico, que é uma ampla reforma do terminal de passageiros. A responsabilidade é do Governo do Estado e tomara que o governador Carlos Moisés interceda nesse caso, afinal, o aeroporto beneficia as duas principais cidades do sul catarinense, já que cerca de 60% dos clientes do equipamento são tubaronenses e criciumenses.

As fotos não deixam mentir e até certo ponto indignam, pois a estrutura não completou uma década e já está do jeito que as fotos evidenciam. Não dá para dizer que as empresas que construíram o aeroporto regional, fizeram um serviço bem feito, com zelo e responsabilidade.

Infiltrações estão por todos os cantos do aeroporto