Principal SEGURANÇA Caso de leishmaniose visceral canina é registrado em Tubarão
Caso de leishmaniose visceral canina é registrado em Tubarão

Caso de leishmaniose visceral canina é registrado em Tubarão

0
0

A doença infecciosa causada pelo parasita do gênero Leishmania teve o segundo caso confirmado em um cão de Tubarão, nesta segunda-feira (17). O primeiro caso, registrado no início do ano, tratava-se de um caso importado, de outro município. A Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) avalia o caso e, nesta quinta-feira (20), começará a realizar visitas no bairro Vila Moema, onde o foi confirmado, para pesquisas e orientações sobre a zoonose. 

A leishmaniose é transmitida por insetos hematófagos (que se alimentam de sangue) conhecidos como flebótomos ou flebotomíneos e pode ser encontrada de duas formas: a cutânea, acomete a parte externa, como feridas na pele; e a visceral, a forma mais grave da doença, quando atinge os órgãos sistêmicos. No animal do município, a leishmaniose encontrada foi a visceral, quando a doença ataca, principalmente, fígado, baço e medula óssea. 

Por ser considerada perigosa, a zoonose precisa ser evitada e tratada de forma ágil. Desta forma, a equipe da UVZ junto com uma equipe da 19ª Gerência Regional de Saúde realizará a pesquisa de campo nas proximidades do bairro Vila Moema, onde o cão positivo reside. O objetivo é descobrir evidências da presença do mosquito-palha, o transmissor da doença, na região. 

“Nós precisamos orientar os moradores sobre a doença e descobrir se há mais animais com a mesma sintomatologia. Por isso, pedimos para que os moradores que podem receber a visita das equipes, que participem. É muito importante para a saúde de todos”, ressalta a coordenadora da UVZ, Gabriela Nunes. 

Texto: HC Notícias