Principal Últimas Calor e doenças ameaçam os animais domésticos no Verão
Calor e doenças ameaçam os animais domésticos no Verão

Calor e doenças ameaçam os animais domésticos no Verão

0
0

A estação mais quente e animada do ano pode esconder perigos para os animais. Entre as principais situações vividas por cães e gatos no verão estão as altas temperaturas. De acordo com a veterinária Carina Freccia, de Tubarão, o paciente pode ter uma hipertemia, que é o aumento da temperatura interna do pet. “Isso ocorre por uma exposição excessiva solar ou em horários mais quentes. O animal fica mais ofegante, com dificuldade respiratória e que pode levar a morte. Ele tem que ser levado em uma clínica ou hospital veterinário e de maneira rápida baixar a temperatura”, explica.

Segundo ela, a hipertemia não ocorre apenas no paciente que foi exposto de maneira inadvertida em horário mais quente, mas naquele que habita em canil, que é revestido de cimento, por exemplo, e há um reflexo solar maior e não há área sombreada. “Na exposição solar também há a dermatite, onde a pele apresenta patologia, vermelhidão, prurido, ressecamento por causa da exposição ao sol. Ela é mais observada em pacientes de pele e pelo claro. Essa exposição pode levar o animal a uma neoplasia cutânea.

A profissional lembra que no verão com as altas temperaturas e a maior presença de umidade e desta forma, o número de replicação de parasitas são maiores como pulgas e carrapatos. Eles realizam ciclos durante todo o ano e precisam de um hospedeiro, os cães e gatos. “Além dos parasitas gerarem problemas dermatológicos, há as doenças transmitidas pela pulga e carrapato. As doenças sanguíneas, que levam aos problemas sistêmicos no animal”, expõe.

Além dos problemas relacionados ao sol, Carina conta que nesta época do ano as coxins, as solas das patas dos cães, por exemplo, estão mais expostas e com as altas temperaturas nos pisos e asfaltos e podem queimar o pet. Animais peçonhentos significam um grande problema neste período e as festas de final de ano também são grandes vilãs. Muitos pets são alimentados com o que não devem. “As gastrenterites, as causadas por vírus, as viroses. No verão podemos observar com mais frequências”, finaliza.

É necessário manter o animal hidratado ao longo de todo o dia, oferecendo a ele água fresca e abundante. Durante os passeios, também temos de respeitar se o pet estiver mais cansado e ofegante, inclusive procurando um local sombreado para ele descansar e beber água. Isso vai auxiliá-lo a retomar a caminhada com a temperatura corporal mais controlada.

Com informações do site Notisul