Principal GERAL Azul analisa volta do horário de voo matutino em Jaguaruna
Azul analisa volta do horário de voo matutino em Jaguaruna

Azul analisa volta do horário de voo matutino em Jaguaruna

0
0

A Associação Empresarial de Criciúma (Acic) protocolou na tarde desta terça-feira (3), um ofício à Azul Linhas Aéreas para solicitar a inclusão de um novo horário de voo para o Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi, de Jaguaruna, em direção a São Paulo. Nesta quinta-feira (5), a direção da Azul se reunirá para analisar o assunto e a decisão deve ser anunciada ainda na sexta-feira (6).

O documento foi entregue pelo deputado estadual Luiz Fernando Vampiro (PMDB), em São Paulo, em audiência com o assessor da presidência para assuntos institucionais, Ronaldo da Silva Veras. “Houve uma sinalização positiva de que a companhia aérea possa retornar com o voo matutino que partia de Jaguaruna, adequando os horários e não com a inclusão de mais um voo”, explica o presidente da Acic, Moacir Dagostin.

No ano passado, a companhia aérea retirou da malha os horários de voos que partiam de Jaguaruna às 6h05 e retornavam de São Paulo às 21h30. A mudança inviabilizou que os usuários da região cumprissem compromissos em São Paulo e voltassem no mesmo dia.

As associações empresariais do sul e do extremo sul catarinense também emitiram um manifesto à Azul pedindo a permanência deste voo na época. Recentemente, a Latam também retirou o voo matutino do Aeroporto de Jaguaruna com destino a capital paulista. Atualmente, conta com dois voos somente no período vespertino.

“O aeroporto de Jaguaruna atende a uma população de mais de 990 mil habitantes do sul do Estado, onde estão instaladas cerca de 25 mil empresas, sendo o único equipamento disponível entre as capitais Florianópolis e Porto Alegre, facilitando o deslocamento da classe empresarial da região para os grandes centros do país. A impossibilidade de um voo com retorno no mesmo dia de São Paulo impacta diretamente na otimização de tempo e na redução de custos dos usuários”, destaca o documento assinado pelo presidente da Acic, Moacir Dagostin.

Foto: Gabriel Haesbaert