Principal SAÚDE Após três casos confirmados em Tubarão, autoridades alertam para imunização contra o sarampo
Após três casos confirmados em Tubarão, autoridades alertam para imunização contra o sarampo

Após três casos confirmados em Tubarão, autoridades alertam para imunização contra o sarampo

0
0

A Fundação Municipal de Saúde e a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) de Santa Catarina, confirmaram nesta sexta-feira, dia 6, em entrevista coletiva, três casos de sarampo em Tubarão e outros dois casos suspeitos da doença. A primeira providência das autoridades médicas, diante da situação, é alertar a população para a necessidade de vacinação, único meio de prevenção.

Todos os casos confirmados são de pessoas adultas. Nos dois primeiros a doença foi contraída fora de Tubarão, durante viagem para outras regiões do país. O último caso, no entanto, foi contraído na própria Cidade Azul. O primeiro caso foi confirmado na quinta-feira (5) e os outros dois nesta sexta-feira (6).

O cenário de alerta já é considerado há cerca de um ano, quando a vigilância do município e a 19ª Gerência Regional de Saúde de Tubarão iniciaram um trabalho de monitoramento.

“Em dezembro do ano passado já falávamos dessa possibilidade. A nossa preocupação é que a campanha de vacinação não tem atingido a meta que gostaríamos. Então, quanto menor a cobertura maior é chance de termos a ocorrência da doença. O último caso confirmado e os outros dois suspeitos em análise foram contraídos aqui, em Tubarão, isso quer dizer que houve falha na vacinação. O município fez um trabalho de bloqueio bem completo nas famílias, no trabalho e entre as pessoas próximas de quem está com a doença, que é chamada busca ativa, com a vacinação de todas essas pessoas. Mas é preciso que todas as pessoas se conscientizem para a vacinação, o vírus está circulando e só há uma estratégia que é se vacinar”, explicou a enfermeira da DIVE Helena Caetano.

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde, Daisson Trevisol, reforça que toda estrutura de Saúde está mobilizada para a questão da vacinação.

“Esse caso de sarampo adquirido em Tubarão nos deixa em alerta, principalmente para que seja tomada uma atitude de divulgar mais a campanha de vacinação. As pessoas devem procurar a sala de vacinação. Importante ressaltar que temos ainda dois casos suspeitos e tudo isso são situações que nos preocupam. É uma questão de saúde pública, pois alguns em alguns municípios do Estado há proliferação da doença e temos a preocupação de que isso possa acontecer também em Tubarão”, completa.

Clique aqui e veja as unidades de saúde com sala de vacinação

Quem não consegue se imunizar nas UBS nos horários comerciais, a Policlínica Central tem a Sala de Vacina, situada na rua Antônio Delpizzo Júnior, que atende todos os tubaronenses até as 22 horas, com distribuição de senha até 21 horas.

Sarampo

O que é?

O sarampo é uma doença viral infecciosa e de fácil contágio entre as pessoas. Tem sua transmissão por secreções das vias respiratórias, como gotículas eliminadas através do espirro ou pela tosse.

O período de incubação, que é o tempo entre o primeiro contato com o vírus e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de 12 dias. Porém, a transmissão pode ocorrer antes de aparecer os sintomas.

Sintomas

Os sintomas iniciais que podem ser apresentados são: manchas avermelhadas na pele que começam no rosto e progridem em direção aos pés; febre; tosse; mal-estar; conjuntivite; coriza; perda do apetite; manchas brancas na parte interna das bochechas.

Tratamento

Por se tratar de uma doença viral e autolimitada, não existe tratamento específico, varia de acordo com os sintomas que o paciente possuí, para aliviá-los. Para os casos sem complicação, é importante manter a pessoa hidratada, com suporte nutricional e diminuir a hipertermia. As complicações que podem acontecer, como diarreia, pneumonia e otite média, devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Prevenção

Vacinação

Pessoas com até 29 anos: duas doses da vacina

De 29 a 49 anos: uma dose

Acima de 50 não é necessária a vacinação, exceto se a pessoa teve contato com alguém contraiu sarampo