Principal Últimas Em Destaque Após denúncia e inquérito no MPF, UFSC abre vaga para professores de Medicina em Araranguá
Após denúncia e inquérito no MPF, UFSC abre vaga para professores de Medicina em Araranguá

Após denúncia e inquérito no MPF, UFSC abre vaga para professores de Medicina em Araranguá

0
0

Com o perigo de paralisação devido a falta de professores, a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) lançou edital de contratação de professores para o curso de Medicina em Araranguá.

O edital prevê a contratação de sete professores para o curso, com uma remuneração que pode chegar a R$10 mil. As inscrições ocorrem do dia 14/09/2021 à 14/10/2021.

“A Universidade Federal de Santa Catarina está com edital aberto visando a contratação de docentes para atuarem no curso de Medicina do Campus Araranguá através do Departamento de Ciências da Saúde. O concurso público regido pelo Edital nº 069/2021/DDP”, diz a nota publicada na última sexta-feira (3).

Falta de professores e inquérito no MPF

A falta de professores que pode acarretar na paralisação do curso de Medicina da UFSC em Araranguá foi denunciada pelos alunos. Através do Centro Acadêmico Livre de Medicina (Calmed), os estudantes entregaram uma denúncia ao MPF (Ministério Público Federal).

Devido a denúncia, o MPF em Criciúma instaurou inquérito para apurar possíveis omissões da UFSC e dos Ministérios da Educação e Economia no caso.

Segundo a denúncia dos alunos, a turma mais avançada do curso, que se encontra na sétima fase, corre o risco de ter apenas uma hora aula por semana neste semestre. Sendo que deveriam ocorrer 41h aula por semana.

“A partir do 2º Semestre do ano corrente, com o início das atividades programada para Out/2021, não haverá a oferta das seguintes disciplinas: Módulo Sequencial VII, Módulo Habilidades e Humanidades VII e Módulo Comunidades VII”, destaca o documento protocolado no MPF.

O curso foi aprovado previamente para funcionar com 60 professores e 30 técnicos. Para o início das aulas foram liberadas inicialmente 31 vagas para professores. Desta forma, as atividades iniciaram no dia 30 de julho de 2018.

Porém, atualmente, o Curso de Medicina em Araranguá conta com 26 professores e nenhum técnico. As aulas devido a pandemia da Covid-19 tem ocorrido de forma remota, através da internet, sem aulas práticas. Algo que facilitou a continuidade das aulas no curso.

UFSC já buscava a abertura do edital

Na época da denúncia, a UFSC emitiu uma nota em que alegou que não poderia contratar mais professores devido a determinação do Ministério da Economia.

A nota destacava, também, que a abertura de um concurso para a contratação de nove professores já estava com o trâmite completo dentro da Universidade. Desta forma, aguardando a liberação da contratação pelo Governo Federal.

“Recentemente a Universidade conseguiu negociar e obter do Ministério da Educação a alocação de nove vagas de docentes para o curso, a fim de suprir necessidades emergenciais. Um concurso para preencher essas vagas poderá ser realizado ainda em em 2021, mas não há autorização por parte do Ministério da Economia para contratação antes de 2022”, informava a nota na época.

Diversas entidades buscaram auxílio para a liberação do edital. A Aciva (Associação Empresarial de Araranguá e Extremo Sul Catarinense) em nota comemorou a abertura das novas vagas. Porém entidade lembra que esta é apenas uma solução temporária.

“A abertura do edital soluciona parte do impasse envolvendo o andamento do curso de Medicina no campus de Araranguá, porém é importante lembrar que ainda há a necessidade de mais contratações por meio de concurso público, que precisa ser liberado pelo Ministério da Educação”, destaca a nota.

Com informações do site ND Mais