Principal Últimas Em Destaque Após 15 horas, fogo ainda atinge cerca de 30% de indústria em Xaxim, no Oeste Catarinense
Após 15 horas, fogo ainda atinge cerca de 30% de indústria em Xaxim, no Oeste Catarinense

Após 15 horas, fogo ainda atinge cerca de 30% de indústria em Xaxim, no Oeste Catarinense

0
0

Mais de quinze horas já se passaram desde o início do incêndio que atinge um barracão da Rafitec, indústria de sacarias do município de Xaxim, no Oeste de Santa Catarina. Cerca de 13 mil m² já foram atingidos pelo fogo e cerca de 30% do local ainda está em chamas.

Segundo informações do CBMSC (Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina), os focos se concentram em duas áreas onde havia grande depósito de combustível. Não há riscos para edificações vizinhas.

Os bombeiros explicam que os locais remanescentes do incêndio, ainda em área significativa em relação às proporções da empresa, são de acesso mais dificultoso pelos combatentes. Devido a distancia, o combate externo com água não tem dado efeito.

Ainda, segundo os bombeiros, parte das chamas é formada por baixo do telhado metálico, o que também dificulta o combate. Para remover as estruturas metálicas, foi usado maquinário pesado. No entanto, até mesmo a máquina teve restrições para prosseguir em alguns pontos em função dos riscos, em especial do calor.

Equipes se empenham

Já foram utilizados cerca de 500 mil litros de água no combate. Oito caminhões do CBMSC de diversos quartéis e outros veículos de apoio ajudaram no combate. Ao todo, 60 bombeiros em sistema de revezamento de equipes atuaram no combate até o momento, sendo que em alguns momentos havia 30 bombeiros trabalhando no incêndio ao mesmo tempo.

Equipes do CBMSC Faxinal dos Guedes, Xanxerê, Xaxim, Chapecó, Pinhalzinho e Joaçaba ajudaram no combate das chamas. Além disso, a Prefeitura de Xaxim e empresas particulares prestaram apoio.

Neste momento, 20 bombeiros atuam no combate, com cinco caminhões de apoio. Novas equipes devem chegar para prestar apoio ao longo do dia até o combate completo das chamas. O incêndio teria começado no setor de impressão da empresa, mas uma perícia vai investigar o caso.

Sete pessoas precisaram de atendimento médico, por queimaduras e intoxicação, de acordo com o CBMSC. Ninguém morreu.

Com informações do site ND Mais