Principal Últimas Anvisa se reúne com representantes de Estados para discutir importação de vacina
Anvisa se reúne com representantes de Estados para discutir importação de vacina

Anvisa se reúne com representantes de Estados para discutir importação de vacina

0
0

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) se reuniu com os representantes dos Estados autorizados a importar a vacina Sputnik, para esclarecer e discutir os aspectos necessários para a importação e uso dos primeiros lotes autorizados do imunizante contra Covid-19. O objetivo foi alinhar as expectativas e permitir a chegada dos primeiros lotes ao Brasil.

Um dos requisitos é assinatura do termo de compromisso, que trata das condições estabelecidas pela Anvisa para a importação e o uso da vacina.

Uma das principais necessidades é o delineamento do estudo de efetividade e do monitoramento, também conhecido com o estudo da vida real, que deve ser acordado entre Anvisa e os governos estaduais.

Reunião com representantes de Estados

A Anvisa apresentou referências sobre os modelos semelhantes que têm sido orientados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em todo o mundo para a aplicação de vacinas em estudo de eficácia em vida real, com objetivo de obter dados sobre as vacinas.

Entre os exemplos estão o estudo feito em Serrana, pelo Butantan, o que será feito em Botucatu, pela Fiocruz e também o próprio manual de avaliação de vacinas contra Covid-19 da OMS.

Os objetivos desses estudos são avaliar o desempenho de vacinas no mundo real, abordar lacunas nas evidências de ensaios clínicos, incluindo eficácia em subgrupos, eficácia contra variantes de preocupação e duração da proteção.

Participaram da reunião os diretores da Anvisa, Alex Campos, Meiruze Freitas e Romison Mota; os secretários de saúde do Estado da Bahia, do Maranhão, de Pernambuco, do Piauí e de Sergipe, além do secretário executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas.

Santa Catarina e o interesse na compra de vacinas

Há três meses, o governador Carlos Moisés (PSL) participou de uma reunião com a União Química Farmacêutica Nacional e governadores de outros Estados, em Brasília, para discutir a compra de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V.

Já neste mês, na última quinta-feira (3), Moisés anunciou que Santa Catarina formalizou interesse na compra de doses da vacina contra Covid-19 do Instituto Butantan.

A quantidade que o Estado pretende adquirir, segundo Moisés, é suficiente para a imunização de 100% da população de Santa Catarina. O anúncio foi feito via redes sociais.

Divulgação/Redes Sociais

A compra seria de forma direta, sem adesão de consórcio, para a vacina que o Instituto Butatan anunciou como a primeira a ser produzida no Brasil, com o nome de Butanvac.

Com informações do NDMais