Principal SEGURANÇA “A pediatra, a priori, descartou indícios de violência sexual”, afirma delegada que cuida do caso da menina de um ano, que chegou no HNSC com lesão nas partes íntimas
“A pediatra, a priori, descartou indícios de violência sexual”, afirma delegada que cuida do caso da menina de um ano, que chegou no HNSC com lesão nas partes íntimas

“A pediatra, a priori, descartou indícios de violência sexual”, afirma delegada que cuida do caso da menina de um ano, que chegou no HNSC com lesão nas partes íntimas

0
0

Nesta segunda-feira, dia 20, a delegada de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso – DPCAMI – Caroline de Bona Portão, prestou esclarecimentos sobre do caso da menina de um ano que foi levada ao hospital na última sexta-feira com lesão/sangramento na parte íntima.

Confira a fala da delegada: “Inicialmente essa menina chegou no hospital na quinta-feira perto da madrugada e na manhã seguinte foi avaliada pela pediatra, que descartou, a priori, indícios de violência sexual.
Ainda assim, instaurou-se inquérito policial e temos 30 dias para remetê-lo ao Fórum.
A criança será submetida a exame de corpo de delito para que a gente possa receber um laudo pericial e materializar a não situação de violência sexual.
Mas, ainda assim, serão ouvidos os familiares e algumas testemunhas que estiveram com a criança naquele dia.”

RELEMBRE O CASO:

Por volta da meia noite desta sexta-feira, dia 16, a Polícia Militar foi acionada. Uma enfermeira do Hospital Nossa Senhora da Conceição relatou que uma menina de um ano deu entrada no hospital, com uma lesão na parte íntima. A profissional orientou a mãe da menina, uma mulher de 29 anos, a entrar em contato com a PM.
A mãe da criança relatou que sua filha foi deixada em uma creche da cidade por volta das 8h e que às 18h o seu companheiro (pai da criança) a pegou e a deixou com sua mãe. Já em casa, ao efetuar a troca e fralda, notou-se que a mesma estava suja de sangue.
Diante dos fatos foi confeccionado um boletim de ocorrência no local.