Principal GERAL 56% da população catarinense admite que tomou/tomaria hidroxicloroquina ou ivermectina
56% da população catarinense admite que tomou/tomaria hidroxicloroquina ou  ivermectina

56% da população catarinense admite que tomou/tomaria hidroxicloroquina ou ivermectina

0
0

A hidroxicloroquina e a  ivermectina, medicamento utilizado para tratamento da escabiose, ou sarna humana, divide opiniões e está desaparecendo das prateleiras das farmácias. Apesar de não ter sua eficácia comprovada contra o coronavírus, muitas pessoas têm utilizado o remédio para prevenção ou tratamento da doença.

Em Santa Catarina, 56% da população admite que tomou ou tomaria os medicamentos para o tratamento precoce ou com sintomas leves da covid-19 prescritos por médico. É o que diz a pesquisa realizada pelo Instituto Mapa,  encomendada pelo Grupo ND de Comunicação, feita durante o mês de julho, com 1200 pessoas entrevistadas, distribuídas em 56 municípios.

O médico infectologista Dr. Rogério Sobroza de Mello, em entrevista para a Revista Única, revela que o uso da cloroquina não traz benefícios no combate ao vírus. “Ela não funciona. Pelo contrário, o uso dela aumenta a mortalidade do paciente. No início da epidemia era mais comum o uso da cloroquina para pacientes, mas muitos morreram. O único lugar do mundo que ela é recomendada é no Brasil”, explica. 

É importante destacar que a margem de erro da pesquisa é de 2,8 pontos percentuais, dentro de confiabilidade de 95%.