Principal SAÚDE Incidência de HPV em população jovem preocupa especialista
Incidência de HPV em população jovem preocupa especialista

Incidência de HPV em população jovem preocupa especialista

0
0

O Papilomavírus Humano (HPV) possui mais de 200 variações e é o causador de diversas doenças, a maioria benignas, mas outras, como câncer de colo de útero, podem ser fatais. Segundo dados de uma pesquisa realizada em parceria entre a Associação Hospitalar Moinhos de Vento e o Ministério da Saúde, 54,6% das pessoas entre 16 e 25 anos possuem o vírus do HPV.

De acordo com o médico ginecologista e professor da Unisul, Luiz Fernando Somacal, a incidência é maior em pessoas jovens por conta do estilo de vida. “A população jovem se expõe mais ao vírus, já que tem um maior número de parceiros e muitas vezes é mais liberal”, comenta.

Problemas graves

Um dos preocupantes problemas causados pelo HPV e que atinge as mulheres é o câncer de colo de útero. Segundo Somacal, este é o quarto tipo de câncer que mais acomete as mulheres na região Sul do Brasil. Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) revelam que a estimativa para o ano de 2018 é que mais de 16 mil novos casos de câncer de colo de útero sejam diagnosticados.

Prevenção

A maior forma de transmissão da doença é através da relação sexual. De acordo com Somacal, o contágio se dá através do contato pele/pele, pele/mucosa, mucosa/mucosa. Para evitar a transmissão, a vacinação contra o HPV, para quem não iniciou a vida sexual, é um dos métodos mais recomendados. Exames preventivos, como Papanicolau ou citopatológico também são essenciais para o acompanhamento da saúde da mulher.

Na Unisul, o Ambulatório Médico de Especialidades realiza gratuitamente estes exames de prevenção. O serviço é gratuito para toda a comunidade, assim como as consultas médicas com especialistas. Os atendimentos são realizados de segunda a sexta, das 7h30min às 12h e das 13h às 17h30min, no Bloco da Saúde, no Campus Tubarão.

Vacinação

Em 2013 foi realizada a primeira campanha de vacinação contra o HPV. Ela é a principal forma de prevenção contra o vírus. Meninas entre 9 e 14 anos, e meninos entre 11 e 14 anos devem ser vacinados. A rede pública de saúde oferece gratuitamente as duas doses da vacina durante todo o ano. Somacal, que foi um dos pesquisadores do estudo que possibilitou o desenvolvimento da vacina, reforça a urgência de programas do governo que alertem sobre a necessidade da vacinação. “A população precisa entender que a vacina não é uma tentativa de ganhar dinheiro, e sim de prevenir o crescimento da doença”, finaliza.