Principal GERAL DCE orienta alunos a não participarem de protesto organizado pelo Sinpaaet
DCE orienta alunos a não participarem de protesto organizado pelo Sinpaaet

DCE orienta alunos a não participarem de protesto organizado pelo Sinpaaet

0
0

Após um vídeo divulgado nas redes sociais pela presidente do Sindicato dos Professores e Auxiliares de Administração Escolar de Tubarão (Sinpaaet), Gisele Vargas, convocando professores, alunos e colaboradores para uma manifestação em frente ao Shopping Unisul, na próxima quarta-feira (6), às 17h, o Diretório Central do Estudantes (DCE) da Universidade publicou uma nota contra o protesto.

A diretoria informou saber da situação financeira vivenciada pela Unisul, sua dívida histórica e os atrasos na folha de pagamento. “Também tem conhecimento da existência de negociações com grupos educacionais e, tendo mais informações, se manifestará oportunamente. Todos os questionamentos apresentados à Reitoria vem sendo atendidos”, ressalta o comunicado. No fim, o DCE diz não compactuar com a realização dos protestos e não incita os alunos a participarem.

“Essa crise não é de hoje. E não é porque ela não é de hoje que a Universidade tem que se tornar uma mercadoria, que a única saída é a venda. Eu, antes de ser sindicalista, sou trabalhadora da Unisul. Amo muito a minha profissão. Assim como eu, muitos colegas da diretoria do Sinpaaet, amigos, pais, mães de família, que trabalham na Unisul estão preocupadíssimos e muito aflitos com a sobrevivência da Instituição em que a gente trabalha”, relata Gisele no vídeo.

Na segunda-feira (28), o Sinpaaet lançou uma campanha, por meio de três outdoors, com críticas à Universidade. Na rua Padre Geraldo Spettmann e na avenida Marechal Deodoro foram colocadas as seguintes mensagens: “Adivinhe quem está animado com a venda da Unisul? Perdem os alunos, perdem os trabalhadores, perde a educação regional”, “Unisul, ‘5’ no MEC e ‘0’ em transparência? A comunidade merece saber tudo sobre a possível venda da Unisul” e “Vender a Unisul é virar as costas para a comunidade; Quem tem compromisso com a verdade, não chama venda de parceria”. Embaixo de todos também estava escrito “Com a palavra, a Reitoria”.

“A campanha lançada é um alerta. Não só aos trabalhadores da Unisul, mas aos ex-alunos, à sociedade tubaronenses e principalmente aos que vivem economicamente da Universidade. Nós não podemos aceitar a venda de um patrimônio social que foi construído por cidadãos tubaronenses e pela comunidade. Nós não podemos aceitar passivamente que os empregos das famílias, das pessoas que lá trabalham, sejam colocados em risco, que a qualidade da educação social e comunitária oferecida seja colocada em cheque”, enfatiza Gisele.

Foto: Divulgação