Principal GERAL Caminhoneiros realizam paralisação contra os impostos dos combustíveis
Caminhoneiros realizam paralisação contra os impostos dos combustíveis

Caminhoneiros realizam paralisação contra os impostos dos combustíveis

0
0

A semana começou com uma paralisação nas rodovias catarinenses. Caminhoneiros autônomos realizam uma greve geral desde às 6h desta segunda-feira (21) próximo ao trevo Nova Brasília, na SC-437, em Imbituba. Os manifestantes colocaram fogo em pneus nos dois lados da rodovia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a manifestação não causou impacto no tráfego.

Apenas na última semana, a Petrobras anunciou cinco aumentos consecutivos nos preços dos combustíveis, sendo que metade do valor é composto por impostos. Na região, a gasolina comum está em média R$ 4,19, enquanto o diesel está R$ 3,69. A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) divulgou uma convocação na última sexta-feira (18) para lutar contra os impostos no óleo diesel. O valor do combustível representa 42% do custo da atividade.

A decisão foi tomada após esperar por uma resposta do Governo Federal, que até o momento, não tomou qualquer iniciativa em relação aos pleitos feitos pela categoria. A reivindicação dos caminhoneiros é apoiada pelos donos dos postos, que afirmam perder margens com os aumentos. Conforme o presidente da Fecombustíveis, Paulo Miranda Soares, o setor sugerirá ao governo a redução dos impostos sobre os combustíveis e também que a Petrobrás faça o reajuste em intervalos maiores.

“O aumento constante do preço nas refinarias e dos impostos que recaem sobre o óleo diesel tornou a situação insustentável para o transportador autônomo. Além da correção quase diária dos preços dos combustíveis realizado pela Petrobrás, que dificulta a previsão dos custos por parte do transportador, os tributos PIS/Cofins, majorados em meados de 2017, com o argumento de serem necessários para compensar as dificuldades fiscais do governo, são o grande empecilho para manter o valor do frete em níveis satisfatórios”, ressalta a nota da Abcam.

Foto: Cristiano Estrela/DC