Principal SEGURANÇA Advogado é preso em flagrante com mais de um quilo de maconha e cocaína em Tubarão
Advogado é preso em flagrante com mais de um quilo de maconha e cocaína em Tubarão

Advogado é preso em flagrante com mais de um quilo de maconha e cocaína em Tubarão

0
0

A Polícia Militar (PM) de Tubarão montou uma vigilância no pátio de um posto de combustíveis, no bairro Humaitá, nesta quinta-feira (10), por volta das 19h, após receber a informação que ocorria entrega de drogas no local.

Após algum tempo de vigia, uma Volkswagen Amarok branca chegou, de onde desceu uma mulher, que ficou na frente da loja de conveniência. Ela mulher parecia estar agitada e mexia constantemente no celular. O veículo se afastou do pátio e foi para um ponto mais escuro.

Cerca de 20 minutos depois, a mulher saiu do posto e voltou para caminhonete. Devido a atitude suspeita, a guarnição decidiu ir até o veículo, que tentou evitar a abordagem. Ao parar, os policiais perceberam que uma adolescente, de 14 anos, sentada no banco de trás, arremessou uma sacola preta para baixo do automóvel. Dentro havia quase um quilo de maconha.

Em uma bolsa de couro marrom, onde haviam documentos no nome do motorista, tinha uma bucha com 102 gramas de cocaína. Sob o banco da frente também havia uma balança de precisão e no porta óculos do veículo foi encontrado mais uma bucha de cocaína. Todo o material foi apreendido.

O condutor, de 57 anos, e passageira, de 36, foram presos. A adolescente também foi encaminhada para Central de Plantão Policial (CPP) e o Conselho Tutelar foi acionado. O homem se identificou como advogado, então o presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rafael Bressan, compareceu à delegacia para acompanhar o caso.

De acordo com o artigo sete inciso quatro do Estatuto da Advocacia e da OAB, quando um profissional do direito é preso em flagrante, é preciso realizar “a comunicação expressa à seccional” da Ordem. Apesar disso, como o crime não é ligado ao exercício de profissão, os procedimentos devem ocorrer de forma comum.

Foto: PM