Principal SAÚDE Ministério da Saúde destina R$ 17 milhões para hospitais catarinense
Ministério da Saúde destina R$ 17 milhões para hospitais catarinense

Ministério da Saúde destina R$ 17 milhões para hospitais catarinense

0
0

O secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, acompanhou nesta quinta-feira (10), em Brasília, a assinatura do ministro da Saúde, Gilberto Ochhi, de portarias de habilitação de novos serviços para Santa Catarina. Os valores chegam a R$ 17 milhões e serão empregados em atendimentos de oncologia, cardiologia, neurocirurgia/neurologia e retaguarda.

As portarias atendem seis cidades catarinenses. Na região da Amurel, apenas o Hospital São Camilo, em Imbituba, será beneficiado, com R$ 775 mil para habilitações em leitos de retaguarda. De acordo com Casagrande, Santa Catarina conduz um modelo com resultados positivos, que é a regionalização da saúde.

“Estamos reunindo em cada macrorregião catarinense, os hospitais e seus gestores municipais para definirmos a vocação de cada uma das instituições, pois não é justo um paciente percorrer longas distâncias para ter um atendimento especializado”, destaca o secretário.

Liberação de mais R$ 20 milhões

Durante a assinatura das portarias, também foi solicitado ao ministro o repasse de R$ 20 milhões aos cofres da secretaria de Saúde do Estado. O valor é referente à dívida reconhecida pelo Governo Federal com Santa Catarina. Os serviços realizados nas instituições catarinenses de média e alta complexidades não tiveram cobertura federal, causando um déficit mensal de R$ 17,7 milhões.

O Governo Federal já se comprometeu em repassar mensalmente, a partir de junho, R$ 10 milhões ao Estado. A confirmação ocorreu através de uma portaria publicada em 29 de março no Diário Oficial da União. No entanto, os R$ 20 milhões pleiteados correspondem a abril e maio.

Instituições contempladas

São Bento do Sul: Hospital Sagrada Família – R$ 4,7 milhões;
Rio do Sul: Hospital Regional Alto Vale – R$ 4,7 milhões;
Mafra: Hospital São Vicente de Paulo – R$ 3,7 milhões;
Criciúma: Hospital Materno Infantil Santa Catarina – R$ 2 milhões;
São José: Policlínica Forquilhinha – R$ 1,2 milhão;
Imbituba: Hospital São Camilo – R$ 775 mil.

Foto: Douglas Saviato