Principal ESPORTES Os últimos três anos do estádio Aníbal Torres Costa
Os últimos três anos do estádio Aníbal Torres Costa

Os últimos três anos do estádio Aníbal Torres Costa

0
0

“Para começar um projeto novo tem que ter dinheiro”. A frase do presidente do Hercílio Luz, Fábio Mendonça, talvez explique a ousada decisão do Leão do Sul de vender a área onde hoje está o estádio Aníbal Costa, na avenida Pedro Zapelini. O mandatário Colorado deu detalhes da negociação em coletiva de imprensa realizada na manhã desta segunda-feira (7), na sede do clube.

À esquerda de Fábio, do lado de fora da sala de imprensa do Hercílio, a chuva caía no irregular gramado do Aníbal Costa, palco de nove jogos do clube no Campeonato Catarinense deste ano. O estadual foi uma das últimas competições disputadas na casa do bicampeão de SC em 1957 e 1958. “A venda vem sendo discutida há alguns anos no clube. Nossa área é super valorizada, fica no Centro da cidade, e precisamos desafogar”, explica o presidente. O martelo foi batido na última sexta-feira (4), ao custo de R$ 11 milhões. Uma imobiliária da Cidade Azul acompanhou todo o processo – a comissão da venda foi paga pelo comprador, que é de São Ludgero. Ele ainda não decidiu o que fará em seu novo terreno.

O novo estádio do Leão do Sul deve ser construído por um valor bem menor do que o preço da venda – pelo menos essa é a intenção dos diretores. Dos R$ 11 milhões, cerca de R$ 600 mil serão utilizados para a quitação de dívidas. “Precisamos sanear o clube, que tem poucas dívidas. Vamos ser um dos poucos do Estado a não dever nada. Vamos pagar tudo em 15 ou 20 dias”, garante Fábio. O Hercílio deve IPTU, além de encargos sociais e dívidas trabalhistas. O clube estuda pedir isenção do principal imposto municipal à frente.

A nova casa do Hercílio Luz precisa sair em menos de três anos. O contrato dá ao clube a garantia de utilizar o Aníbal Costa por mais três anos. Nesse tempo, cerca de 80% das arquibancadas serão retiradas e reaproveitadas na nova área, que ainda não foi definida. “Vai ser em Tubarão”, desconversou Mendonça. A tendência é que seja no bairro São Martinho. “Se eu não tivesse certeza que daria pra construir eu não venderia. Tem pessoas inteligentes aqui”, arrematou Fábio, o presidente do acesso à elite, da permanência na primeira divisão e de um dos passos mais importantes da história do clube, que completa 100 anos em dezembro deste ano.

 

Foto: Matheus Aguiar