Principal EDUCAÇÃO Entregues no fim do ano passado, materiais de segurança ainda não foram instalados em escolas
Entregues no fim do ano passado, materiais de segurança ainda não foram instalados em escolas

Entregues no fim do ano passado, materiais de segurança ainda não foram instalados em escolas

0
0

Um requerimento enviado nesta segunda-feira (16), na Câmara de Tubarão, pelo vereador Paulo Henrique Lúcio (PT), mostra o descaso com a Escola de Educação Básica (EEB) Senador Francisco Benjamin Gallotti. A cobrança tem endereço: a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Tubarão.

Em novembro do ano passado, o colégio recebeu materiais de segurança, como extintores, placas indicativas, lâmpadas de emergência, entre outros, que nunca foram instalados. Quase seis meses depois, a preocupação é que o material possa perder a validade antes mesmo da instalação.

“De alguma forma, isso caracteriza um desperdício de dinheiro público. A direção da EEB tem tentado contato, mas há um descaso da ADR em relação à instalação desse material. Acredito que o mais grave de tudo isso é a situação em que o colégio se encontra porque a Associação de Pais e Professores (APP) e a direção fazem sua parte e o Estado não”, lamenta o vereador.

Além dos materiais de segurança, segundo o professor Paulão, há problemas com fios expostos e infiltração, que colocam em risco a segurança da comunidade escolar. “A infiltração, por exemplo, faz com que a parte do colégio já restaurada, como o auditório que foi reinaugurado após dez anos desativado, seja danificada. Se não houver um ação rápida da ADR, todo esse trabalho feito vai ser em vão”, explica. Em maio de 2017, o vereador já havia encaminhado ao presidente da Câmara, Pepê Collaço (PP), um requerimento para que fosse prestado esclarecimentos sobre as reformas nas escolas estaduais de Tubarão.

O secretário executivo da ADR de Tubarão, José Ricardo Medeiros, informou que os materiais, que são kits vitais de prevenção de incêndio, foram encaminhados para algumas escolas do Estado por meio da Secretaria de Educação. “A Agência por sua vez está viabilizando os recursos. Também é preciso obedecer as normas dos bombeiros para instalação correta”, defende. Não há previsão para quando o trabalho será feito.

Foto: EEB Senador Francisco Benjamin Gallotti