Principal GERAL Litoral catarinense registra tremor de 3,6 pontos
Litoral catarinense registra tremor de 3,6 pontos

Litoral catarinense registra tremor de 3,6 pontos

0
0

Um tremor de 3,6 pontos na escala Richter foi registrado nesta sexta-feira (13) às 9h28 por 18 estações da Rede Sismográfica Brasileira e sentido em Florianópolis, Palhoça, São José, Brusque, Itajaí e cidades vizinhas. Santa Catarina possui três pontos de monitoramento, localizados em Treze de Maio, Major Gercino e Itá.

Até então, o maior tremor foi registrado em Tubarão. Em 1939, os moradores da Cidade Azul sentiram um terremoto de 5,5 pontos. No total, foram 25 eventos contabilizados no Estado desde então. A escola varia de 1 a 9 pontos, de forma crescente.

Para entender melhor a magnitude da pontuação, com menos de 3,5 geralmente as pessoas não chegam a sentir. De 3,5 a 5,4, ainda assim pode não ser percebido, mas já pode causar pequenos danos. Com 5,5 a 6, que foi o caso da Cidade Azul, causa danos em construções. De 6,1 a 6,9 a destruição é grave, 7 a 7,9 o tremor possui grandes proporções e o maior de todos, acima de 8, causa destruição total no local atingido.

De acordo com o Centro de Sismologia da USP, toda a costa brasileira, desde o sul da Bahia até o Rio Grande do Sul, compõem um região muito suscetível à ocorrência de tremores. “Nessa região que chamamos de margem continental (ou talude), as aguas são mais rasas comparando com a média dos oceanos, ou seja, é uma região mais ‘alta’. Isso faz com que as camadas rochosas tendam a se ‘esparramar’ ou se ‘espalhar’. Esses esforços, somados à compressão que todo o continente sofre das placas vizinhas (Nazca e África) podem explicar os tremores que registramos ao longo da costa”, explica.

Foto: Ilustrativa