Principal GERAL Caminhada pela conscientização do autismo pede compreensão social
Caminhada pela conscientização do autismo pede compreensão social

Caminhada pela conscientização do autismo pede compreensão social

0
0

O dia Mundial do Autismo, celebrado anualmente no dia 2 de abril, foi criado pela Organização das Nações Unidas em 18 de dezembro de 2007 para conscientizar o mundo acerca dessa condição tão importante.

Inicialmente descrito em um grupo de 11 meninos, em 1943, o número de casos conhecidos foi aumentando a cada ano, até que hoje considera-se que exista um caso para cada 68 crianças, tornando o espectro autista um dos transtornos neurocomportamentais mais comuns a afetar a faixa etária pediátrica.

“As pessoas precisam entender que o autismo não é uma doença, como todos pensam. É uma característica de comportamento”. Na luta pela consciência coletiva, o senhor Jorge Prudêncio afirma que muitas pessoas ainda precisam entender o autismo e vê-la com outros olhos. Pai de Manoel, de 10 anos, Prudêncio integrou o grupo que participou nesta segunda-feira (2) da 4ª Caminhada pela Conscientização do Autismo, no centro histórico de Laguna.

O pai de Manoel, assim como muitos outros pais, na maioria das vezes tem que lutar contra o preconceito e a desinformação. “Uma das maiores dificuldades é lidar com a humilhação das outras pessoas. O problema social é nossa maior dificuldade, porque quem sofre com isso somos nós familiares”, explica.

Organizada pela Secretaria Municipal de Educação, a caminhada lembra o Dia Mundial da Conscientização do Autismo e reuniu professores, alunos da rede municipal e da APAE, além de pais das crianças. A ação busca conscientizar as pessoas que o autista precisa de compreensão e amor. “Atualmente a rede municipal de ensino atende 18 crianças com autismo”, afirma Alexandra Carneiro.

Em Imbituba, uma caminhada ocorreu às 9h, na frente da prefeitura, com os participantes vestidos de azul. Na Associação Amigos dos Autistas de Imbituba (Amai) estão cadastrados 32 autistas, mas 18 são atendidos. “Ter um dia mundial de conscientização do autismo é de fundamental importância para o reconhecimento cada vez mais precoce desse transtorno. Pais e familiares não devem sentir-se sozinhos diante da condição. O neuropediatra, aliado à equipe multidisciplinar, estará sempre à disposição para ajudar”, conta o doutor Jaime Lin, neurologista pediátrica da Clínica Pró-Vida, de Tubarão.

O Transtorno do Espectro Autista (TEA), popularmente conhecido como autismo, é caracterizado por dificuldades na comunicação e interação social, associado a interesses e atividades restritas e circunscritas. Suas características podem ser detectadas já nos primeiros anos da infância e quanto mais precoce for o diagnóstico, mais rápido o tratamento poderá ser iniciado, possibilitando melhores resultados.

Segue alguns sinais e sintomas que podem chamar a atenção desde a infância precoce.

  • Regressão ou atraso no desenvolvimento da linguagem (parou de falar);

  • Perda de palavras previamente adquiridas;

  • Pobre contato visual;

  • Não atende rapidamente aos chamados;

  • Interesses restritos ou estereotipados;

  • Não apresenta sorriso social;

  • Dificuldades na interação social;

  • Crises frequentes de birra e irritabilidade;

  • Seletividade alimentar;

  • Brincadeiras repetitivas (gira objetos);

  • Não brinca de faz-de-conta;

  • Não imita;

  • Presença de distúrbios do sono.

 

Foto: Prefeitura de Laguna