Principal SAÚDE Pescaria Brava registra suspeita de febre amarela em macaco
Pescaria Brava registra suspeita de febre amarela em macaco

Pescaria Brava registra suspeita de febre amarela em macaco

0
0

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulgou um boletim novo sobre a febre amarela, nesta quarta-feira (28). Os dados foram coletados até o dia 26. No boletim desde julho do ano passado, na região da Amurel, apenas Pescaria Brava aparece com um caso de epizootias de Primatas Não Humanos (PNH – macacos) sob investigação.

De acordo com Sabrina Fernandes, da Dive da região Amurel, no início de março, foi coletado vísceras do animal para pesquisa do vírus amarílio e rábico. “Tal procedimento é protocolo e não quer dizer que é um caso suspeito de febre amarela silvestre. É a investigação de uma epizootia. No caso referido o laudo da necropsia do animal indicou morte por trauma, pois foi agredido por cães, mas mesmo assim é realizado a pesquisa viral”, esclarece.

Orleans também registrou um caso com resultado indeterminado devido à ausência de coleta de amostras para análise. Vale ressaltar que os animais não transmitem doenças aos humanos. A infecção ocorre somente pela picada do mosquito aedes aegypti.

Fiscais da Fundação Municipal de Meio Ambiente (Funat) e da secretaria de Urbanismo Mobilidade e Planejamento tem realizado fiscalizações, sempre às sextas-feiras à tarde, nos terrenos que precisam de limpeza em Tubarão. Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde, Gabriela Martins, a medida foi tomada devido ao crescimento dos municípios vizinhos infestados com o mosquito aedes aegypti, que causa febre amarela, dengue, febre chikungunya e zika. No início do mês, um tubaronense foi diagnosticado com febre chikungunya, porém a infecção ocorreu no Mato Grosso.

Neste ano, foram notificados 39 casos suspeitos de febre amarela em Santa Catarina. Desses, um foi confirmado por critério laboratorial, 37 foram descartados e apenas um permanece em investigação. O paciente que ainda não foi confirmado, em Joinville, foi para Área Com Recomendação de Vacina (Mairiporã/SP) nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas e não possuía histórico de vacina.

Todo o território brasileiro passou a ser recomendado para vacina contra a febre amarela. A ampliação, anunciada na semana passada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, será feita de forma gradual, iniciando neste ano e sendo concluída até abril de 2019. A medida é preventiva e tem como objetivo antecipar a proteção contra a doença para toda população em caso de um aumento na área de circulação do vírus. Em Santa Catarina, as primeiras doses devem chegar em julho deste ano.

Foto: Divulgação