Principal SEGURANÇA Pai perde direito de visita após borrifar querosene no rosto da filha
Pai perde direito de visita após borrifar querosene no rosto da filha

Pai perde direito de visita após borrifar querosene no rosto da filha

0
0

Crendice ou superstição, pouco importa. A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça manteve ordem de afastamento contra um pai em relação à filha, após denúncia da mãe de que o homem borrifou querosene sobre a menina e provocou-lhe queimaduras de primeiro grau na face e no ombro.

O réu negou qualquer intenção de atentar contra a integridade física da própria filha e justificou sua atitude como uma espécie de simpatia. Disse que somente espalharia querosene nos pés da jovem mas que, em razão de sua agitação, o produto atingiu outras partes do corpo.

O desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann, relator da matéria, determinou também que seja realizado um estudo social para eventual regulamentação do direito de visitas monitoradas no município. Segundo os autos, a medida judicial de afastamento foi decretada, entre outros motivos, pela gravidade dos fatos, pois as consequências poderiam ter sido fatais.

“Sem que se tenha a plena convicção acerca da ausência de risco à segurança da criança, imprescindível a manutenção da medida de afastamento, a fim de preservar a (sua) integridade física”, anotou o relator, em voto acompanhado pelos demais integrantes do órgão julgador. O processo corre em segredo de justiça, em comarca do sul de Santa Catarina.

Foto: Divulgação