Principal EDUCAÇÃO Número cresce e demanda por vagas nas creches preocupa prefeitura
Número cresce e demanda por vagas nas creches preocupa prefeitura

Número cresce e demanda por vagas nas creches preocupa prefeitura

0
0

Mesmo com o início das aulas na rede municipal de ensino de Tubarão, a construção de dois novos Centros de Educação Infantil (CEI’s) e o repasse de recursos para entidades educacionais da Cidade Azul, o drama da falta de vagas em creches do município continua aumentando. O número foi atualizado pela Fundação Municipal de Educação (FME) e impressiona.

Atualmente existem 686 crianças na lista de espera por uma oportunidade em um CEI de Tubarão. “Mas nós podemos dormir o sono dos justos. Tudo que pode ser feito nós estamos fazendo”, se defende o secretário de Educação, Mário Cardoso. O pronunciamento foi feito durante solenidade de assinatura do repasse para entidades assistenciais da Cidade Azul. Entre elas, algumas que fazem a demanda não chegar aos quatro dígitos.

Órgãos como o Lar da Menina, Joanna de Angelis e Combemtu ajudam a diminuir o problema. “Tenho certeza que se não fossem essas entidades o déficit seria maior do que mil crianças”, afirma Mário Cardoso. O Lar recebeu recursos que chegam a R$ 795.915,73. A Joanna de Angelis conseguiu a quantia de R$ 607.496,37. Já a Combemtu vai contar com R$ 750.000,00. O valor é dividido em 11 parcelas e só será repassado caso a prestação de contas aconteça todo mês. “Aquilo que a gente pode fazer, nós estamos fazendo e aquilo que vocês estão podendo fazer, também estão fazendo o melhor”, concluiu o presidente da FME.

Atualmente a prefeitura trabalha na construção de duas novas unidades infantis. Uma delas ficará no bairro São Martinho. Hoje as crianças da comunidade são atendidas em dois imóveis alugados e quando a nova unidade escolar estiver pronta vai oferecer 188 vagas. Já no bairro São João ME, atualmente, o CEI Sonho Infantil atende 103 crianças, a maioria delas em período integral. Quando a nova escola estiver pronta será possível atender 120 crianças. Além disso, o governo municipal sonha em conseguir recursos para a reforma das escolas Visconde de Mauá e Angélica Cabral, fechadas no fim de 2015 pelo governo do Estado.

Foto: Matheus Aguiar/Noticom