Principal SEGURANÇA Operação Ferrolho fiscaliza mais de 250 pontos pelo Estado
Operação Ferrolho fiscaliza mais de 250 pontos pelo Estado

Operação Ferrolho fiscaliza mais de 250 pontos pelo Estado

0
0

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) iniciou março com fortes ações contra a criminalidade. A Operação Ferrolho realiza nesta quinta-feira (1) intensa atividade de fiscalização. De acordo com a comunicação social da PM, a operação foi iniciada para prevenir a possível entrada de criminosos no estado, por causa da intervenção federal no Rio de Janeiro.

Na região Amurel, a polícia fez barreira na Rua Severiano Albino Correia, em Tubarão, e também no posto da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), em Gravatal. O trabalho iniciou às 6 horas e encerrou às 18 horas. As ações envolveram 1.160 policiais militares de Santa Catarina, 300 viaturas e cinco aeronaves, além de 191 policiais militares paranaenses, 102 brigadianos gaúchos, e 30 policiais rodoviários federais. Durante a Operação foram verificados documentos de 30 mil pessoas e 15 mil veículos.

Embora não fosse esse o objetivo principal, a operação resultou em apreensão de drogas, com destaque para oito quilos de skank, localizados em uma mochila no Terminal Rita Maria, em Florianópolis, e o cumprimento de um mandado de prisão em aberto, em Balneário Camboriú. Já em Gravatal, duas pessoas foram presas, após tentarem fugir da barreira policial. A dupla foi encaminhada à delegacia de Orleans e o veículo, com placas de Rio Fortuna, foi apreendido.

“Não se trata de apenas passar uma sensação de segurança. É mais que isso: é demonstrar que estamos preparados para agir fortemente. Não tenho notícia de qualquer ação semelhante no Brasil e nem na América do Sul”, avaliou o secretário de Estado da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior.

Entenda a intervenção federal

O Rio de Janeiro está sob intervenção federal na área de segurança pública desde o dia 21 de fevereiro, e deve continuar até o fim do ano. É a primeira vez que isso acontece desde que a constituição federal entrou em vigor, em 1988, já que só pode ser usado em casos extremos devido a quebra de autonomia dos poderes.

A intervenção ocorre quando um poder estadual, nesse caso o secretário de Segurança Pública, passa para um interventor, que nesse caso é o General do Exército Walter Braga Netto. Ele controla a Polícia Militar e Civil, os bombeiros e administração penitenciária durante esse período.

Foto: PMSC