Principal GERAL Lixo jogado por moradores na BR-101 causa danos à rodovia
Lixo jogado por moradores na BR-101 causa danos à rodovia

Lixo jogado por moradores na BR-101 causa danos à rodovia

0
0

Uma geladeira que foi deixada em uma das alas de drenagem da BR-101, próximo ao km 303, em Laguna, foi encontrada durante uma vistoria da equipe técnica do Escritório de Fiscalização do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT/SC) de Tubarão, nesta quarta-feira (28). A carcaça do aparelho interrompe o fluxo pluvial (água da chuva) que deveria escoar para longe das pistas duplicadas.

O problema é corriqueiro em muitos dos aglomerados urbanos no entorno da rodovia federal, no trecho catarinense. A autarquia tem reforçado as ações de conscientização e operações de conservação para evitar que o resto de entulho e lixo deixados na estrada danifique o sistema de drenagem.

Em muitos trechos é possível ver restos de pneus deixados por motoristas, assim como garrafas plásticas, sacolas, latas de alumínio e uma infinidade de rejeitos. Isso gera uma série de problemas ambientais, além dos danos estruturais para a BR-101, o que gera riscos para quem trafega pelo trecho.

Os trabalhos da retirada do acúmulo de rejeitos nas sarjetas, caixas de coleta e saídas do sistema de drenagem pluvial, realizados pelo DNIT/SC, têm revelado uma situação preocupante. Depois de abandonado sobre as pistas, vias laterais, canteiros e taludes, o lixo é transportado pela água da chuva e se acumula em dutos e bueiros. O problema se agrava próximo das travessias urbanas, onde há maior concentração de pessoas e veículos.

Com a duplicação da BR-101 Sul concluída, a quantidade de lixo depositado na rodovia aumentou. Diante do excesso de resíduos obstruindo os bueiros e valetas, mais equipes e equipamentos para operações de limpeza tem trabalhado em intervalos menores, o que acarreta em um aumento de recursos para a execução dos serviços.

Ações e campanhas – Há 22 Programas socioambientais e um estudo desenvolvidos pelo DNIT que são executados pelo consórcio Concremat-Tecnosolo, entre eles um específico para a educação ambiental. Por meo de palestras, visitas às escolas e comunidades lindeiras à rodovia, a equipe de educadores procura sensibilizar alunos, professores, trabalhadores e motoristas sobre os aspectos da obra e projetos ambientais paralelos às obras de duplicação. Cerca de 63,1 mil pessoas participaram das oficinas desde 2006.

Foto: Divulgação