Principal SEGURANÇA Padrasto acusado de homicídio é condenado a mais de 25 anos de prisão
Padrasto acusado de homicídio é condenado a mais de 25 anos de prisão

Padrasto acusado de homicídio é condenado a mais de 25 anos de prisão

0
0

O destino do homem acusado de assassinar Mariah Della Giustina, de dez meses, foi decidido na manhã desta quinta-feira (15) por um júri popular no Plenário da Câmara Municipal de São Ludgero. Luan Loch, de 22 anos, que na época do crime era o padrasto da bebê, foi condenado a 25 anos, cinco meses e três dias de prisão pelos crimes de tortura homicídio qualificado por motivo fútil e meio cruel, com agravante de pena pela vítima ser menor de 14 anos, em regime inicial fechado. A sessão, que iniciou às 9h, durou aproximadamente 12 horas.

O acusado ainda foi condenado a pagar pelos pagamentos de despesas processuais. O pedido de benefícios da suspensão condicional da pena privativa de liberdade por restritivas de direitos ou mesmo a suspensão condicional da pena foi negado, além do direito de recorrer em liberdade.

O crime ocorreu há cerca de um ano, no dia 25 de fevereiro por volta das 10h30, no bairro Lado da União, em Braço do Norte. Luan e um cunhado levaram Mariah ao Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte, sob a suspeita que ela tinha se engasgado com iogurte. Ela chegou ao local já sem os sinais vitais. A mãe da criança, Taynara Della Giustina, estava no trabalho em um salão de beleza no momento da tragédia.

O rapaz chegou a ir ao velório da menina, onde foi preso. O caso havia sido tratado inicialmente como acidente. Porém, o Instituto Médico-Legal (IML) de Tubarão recolheu o corpo do hospital e os exames revelaram como asfixia a causa da morte. O acusado confessou ter tapado o nariz e a boca para que ela parasse de respirar após se irritar com seu choro, segundo o delegado responsável pela investigação, William Cesar Sales. Após as investigações, Luan foi autuado por homicídio duplamente qualificado, cuja pena podia variar de 12 a 30 anos de prisão.

Foto: Divulgação/Arquivo pessoal